Escolas privadas se preparam para volta às aulas presenciais em 27 de julho

As instituições de ensino particulares do DF começaram a fazer a profilaxia das salas e dos espaços comuns. O retorno será gradual

CadernosDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 30/06/2020 15:58

Com a perspectiva de reabertura de todas as atividades no Distrito Federal nos próximos 35 dias, as escolas privadas da capital estão se preparando para o retorno das aulas presenciais. Conforme o Metrópoles divulgou em primeira mão, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) havia encaminhado sugestão de retorno gradual e opcional ao GDF em 24 de junho.

No documento, o sindicato sugeria um protocolo de profilaxia das instituições, com retorno gradual, progressivo e seguro contra o novo coronavírus para as 557 unidades educacionais particulares e mais de 180 mil alunos. Com as afirmações do governador Ibaneis Rocha (MDB) de análise do cronograma e, posteriormente, de abertura de todos os setores fechados devido à pandemia do novo coronavírus, as escolas privadas decidiram se programar para reabrir fisicamente em 27 de julho.

O governador Ibaneis Rocha anunciou nessa segunda-feira (29/06) o calendário com a previsão da retomada dos serviços que ainda não obtiveram permissão para voltar a funcionar no Distrito Federal. Nesta terça-feira (30/06), ele afirmou que abrirá todas as atividades no DF até agosto.

O governador revelou à coluna Grande Angular, do Metrópoles, que trabalha com duas datas para o retorno das aulas. Dia 27 de julho, no caso das instituições de ensino privadas, e no dia 3 de agosto, para os colégios públicos. “Preciso desse tempo para aplicar medidas de sanitização nos colégios públicos, instalar mais bebedouros, providenciar o espaçamento seguro para que alunos e professores possam frequentar os espaços. Faremos tudo para deixar a situação a mais segura e confortável possível”, disse Ibaneis.

“Chegamos num ponto em que as pessoas estão massacradas, asfixiadas economicamente. Vamos tratar esta situação como sempre deveria ter sido tratada uma gripe que chegou no auge de sua gravidade. Não é aquela ‘gripezinha’ que se fala por aí, mas é uma gripe que apresenta complicações e que o Estado e seus governantes precisam estar prontos para oferecer tratamento”, disse Ibaneis à coluna Grande Angular desta terça. 

Segundo o titular do Palácio do Buriti afirmou ao Metrópoles, o pico da doença no DF é esperado para os próximos 15 dias. Até agora, o coronavírus já matou 512 pessoas, de acordo com dados oficiais, e adoeceu outras 47.701 na capital da República.

Em nota, o presidente do Sinepe-DF, Álvaro Domingues, disse os estabelecimentos de ensino estarão preparados, em 27 de julho, para receber os alunos, mas que respeitarão a “decisão das famílias de levar ou não seus filhos à escola”.

Leia a nota na íntegra:

“Estamos preparados para reabrir as escolas particulares do Distrito Federal. Tínhamos solicitado, de acordo com o cronograma do Plano de Profixalia, elaborado pelo SINEPE-DF, para o dia 20 de julho. Vimos que o governador indicou a data de 27 de julho. Estaremos prontos, respeitando a decisão das famílias de levar ou não seus filhos à escola e as características de isolamento social que o cenário impõe, com responsabilidade e ética, considerando que o ambiente escolar é o local mais propício para a repercussão de comportamentos seguros, a fim de garantir convivência saudável na escola, em casa e na comunidade em geral, na forma designada mais recentemente de ‘novo normal’. Por fim, as escolas, neste momento, querem somar junto à área de saúde no processo de profixalia à Covid-19.”

Últimas notícias