*
 

Presos da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Luziânia (GO), no Entorno do Distrito Federal, fizeram uma rebelião nesta segunda-feira (11/9). A situação ficou tensa no local. Segundo a Secretaria de Segurança de Goiás, um agente penitenciário, que era refém dos presos, morreu após ser baleado. Dois internos foram mortos, sendo um deles queimado.

Outros dois agentes foram mantidos reféns por quase 11 horas. De acordo com a pasta, o motim teve início com uma briga entre facções. Por volta das 10h30, a situação estava controlada. O local tem espaço para 140 presos e abriga mais de 340 detentos.

A confusão teria começado quando presos de uma cela simularam que um dos detentos estava passando mal. Quando os agentes foram atender ao chamado, viraram reféns. O grupo queria matar internos acusados de estupro.

O agente Valdilson Cardoso de Oliveira foi baleado dentro do CPP e morreu ao chegar ao hospital. A mulher dele está grávida. Os presos mortos são William Rosa da Silva, 26 anos, detido em 2016; e Sílvio de Jesus Silva, 39 anos, interno desde junho deste ano.

A Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap) chegou a confirmar que três presos haviam morrido, mas depois corrigiu a informação ao identificar que pedaços de um corpo encontrados queimados pertenciam a um mesmo interno. Nove detentos foram transferidos para Goiânia.

Veja fotos divulgadas nas redes sociais. Cuidado! As cenas são fortes:

O Corpo de Bombeiros de Goiás informou que a corporação foi acionada por volta das 0h50 para combater um incêndio que teria começado em uma ala do CPP, que fica localizado no Complexo Prisional da cidade.

A operação de combate às chamas durou cerca de quatro horas. Unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foram chamadas para dar suporte à ocorrência.

 

 

COMENTE

LuziâniarebeliãoSegurança Públicacpp
comunicar erro à redação

Leia mais: Entorno