Após o escândalo de desvio de dízimos e doações envolvendo a diocese de Formosa, o Papa Francisco nomeou, na manhã desta quarta-feira (21/3), o arcebispo de Uberaba (MG), dom Paulo Mendes Peixoto (foto de destaque), como novo administrador apostólico da diocese da cidade de Goiás, no Entorno do DF. A informação é da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

A nomeação ocorre dois dias após o Ministério Público de Goiás desarticular suposto esquema que envolveu dom José Ronaldo, bispo de Formosa, além de um monsenhor, três padres e um juiz eclesiástico. Todos foram presos.

O Vaticano já havia escolhido dom Paulo Mendes Peixoto para fazer uma “visita técnica” a Formosa, no início do mês, antes da prisão do bispo, após receber denúncias de irregularidades na gestão da cúria. A missão dele seria se inteirar da situação e apontar soluções para eventuais problemas.

Os recursos que teriam sido desviados, mais de R$ 2 milhões, seriam provenientes de dízimos, doações, taxas oriundas de batismo e casamento e de arrecadações vindas dos fiéis para a realização de festas religiosas. Ao todo, os policiais cumpriram nove mandados de prisão e 11 de busca e apreensão.

Durante a operação, também foram apreendidas caminhonetes da diocese de Formosa que estavam sob posse de terceiros, além de grande quantia de dinheiro em espécie, inclusive em moeda estrangeira, relógios, celulares e computadores. Até uma fazenda de gado e casas lotéricas teriam sido compradas pelos religiosos, com o uso de laranjas.

Reprodução

Carta enviada pelo Papa Francisco oficializando a nomeação do novo interventor

 

Dom Paulo Mendes Peixoto, natural de Imbé (MG), foi ordenado bispo em 25 de fevereiro de 2006, para a Diocese de São José do Rio Preto (SP). Tornou-se o bispo responsável pela Rede Vida de Televisão e bispo referencial para a Animação Bíblico-Catequética do Regional Sul 1 da CNBB.

No dia 7 de março de 2012 foi nomeado pelo Papa Bento XVI arcebispo da Arquidiocese de Uberaba. Tomou posse no dia 1º de maio de 2012. (Com informações da Agência Estado)