Mandetta anuncia hospital de campanha em Águas Lindas

Unidade será modelo e deve ser erguida nos próximos dias na cidade do Entorno do Distrito Federal

Mandetta em discursoRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 01/04/2020 6:45

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nessa terça-feira (31/03) que o primeiro hospital de campanha que o governo federal pretende erguer no país ficará em Águas Lindas, município goiano do Entorno do Distrito Federal.

A unidade, que ainda não começou a ser construída, ficará na área central da cidade. Terá atendimento de primeiros socorros e receberá também casos mais críticos. Deve receber especialmente pacientes das cidades do Entorno. Em coletiva à imprensa nessa terça, o ministro disse que o Hospital de Campanha é um pedido do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM).

“O ministro Tarcísio (Tarcísio Gomes de Freitas, ministro de Infraestrutura) já recebe amanhã (quarta) a planta com todos os itens necessários definidos pelo Ministério da Saúde. Ele vai atrás, põe em pé, funcionando para a gente chegar pro governador: está aqui, governador, isso aqui é o que você me pediu. Porque o esforço que ele já fez nos grandes centros dele, agora aqui a gente vai fazer”, disse Mandetta.

No dia 26 de março, o estado de Goiás registrou a primeira morte por coronavírus. Trata-se de uma paciente de 66 anos, que estava internada no Hospital de Doenças Tropicais (HDT) em Goiânia e foi transferida para Luziânia (GO), no Entorno do Distrito Federal.

A vítima, que morava no município goiano que fica a menos de 80 km do DF, era portadora de uma série de comorbidades, como hipertensão, doença pulmonar, diabetes, e teve dengue recentemente.

Valparaíso tem três casos confirmados da doença. Outros cinco estão em investigação.

No DF, a Secretaria de Saúde planeja inaugurar, dentro de 15 a 20 dias, um hospital de campanha para o combate ao novo coronavírus no Estádio Nacional Mané Garrincha. Serão 200 leitos de ambulância instalados no primeiro piso da arena esportiva.
A obra passou por vistoria na segunda-feira (30/03). “Para cada 200 leitos de retaguarda, nós temos 100 com suporte respiratório. Estamos na fase de estruturação desses leitos. Será um hospital montado aqui, essencialmente com o atendimento básico”, disse o secretário de Saúde do DF, Francisco de Araújo Filho.

 

Últimas notícias