*
 

Em audiência de custódia nesta terça-feira (6/3), mãe e padrasto acusados de espancar até a morte o pequeno Enzo, de 2 anos e 8 meses, em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do DF, foram mantidos presos preventivamente. Indiciados por homicídio qualificado por motivo torpe, eles aguardam julgamento na cadeia pública do município.

Perante os policiais civis, Luana Alves de Oliveira, de 21 anos, e o companheiro, Wesley Messias de Souza, 23, confirmaram que acertaram o menino com socos, chutes e pisões porque se irritaram com o fato de o pequeno estar chorando. O garotinho chegou a ser levado ao hospital municipal na noite de domingo (5), mas já estava sem vida.

A própria equipe que recebeu Enzo chamou a polícia. De acordo com os médicos, a criança apresentava várias lesões na cabeça.

Conforme o Metrópoles mostrou, o menino foi acompanhado pelo Conselho Tutelar de fevereiro a outubro do ano passado. Integrantes do órgão chegaram até o garoto depois de receberem denúncia de que ele sofria maus-tratos por parte do pai, que inclusive queimava a criança com pontas de cigarro.

Após separar e ficar com a guarda do menino, a mãe trocou de companheiro, mudou de endereço e não informou o local da nova residência ao Conselho Tutelar. O casal foi preso na segunda-feira (5).