Japonesa encontrada morta em Abadiânia era sobrevivente da tragédia nuclear de Fukushima

Hitomi Akamatsu, de 43 anos, foi encontrada morta em uma cachoeira na propriedade do ex-médium João de Deus. Um jovem assumiu a autoria

atualizado 17/11/2020 17:13

Hitomi Akamatsu, de 43 anos, foi encontrada morta em uma cachoeir

O corpo da mulher encontrada morta em uma cachoeira em Abadiânia (GO) nessa segunda-feira é de Hitomi Akamatsu, 43 anos. A japonesa era sobrevivente do acidente nuclear de Fukushima, ocorrido em 2011, no Japão, e tinha desaparecido havia mais de uma semana, no Entorno do Distrito Federal, segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO).

“Ela se mudou para o Brasil havia cerca de dois anos, para fazer um tratamento espiritual na cidade. Segundo informações, ela saiu do Japão após sobreviver ao acidente da usina de Fukushima, inclusive por isso procurou tratamento”, explica o delegado Albert Peixoto

Hitomi era adepta dos procedimentos espirituais oferecidos pela Casa Dom Inácio Loyola, conhecido centro religioso onde João Teixeira de Faria, o João de Deus, atuava. A corporação, no entanto, não faz ligação da morte da estrangeira com as investigações envolvendo o ex-médium.

A PCGO investigava o desaparecimento de Hitomi desde domingo (15/11), quando um amigo da vítima procurou os policiais para dizer que não tinha notícias da colega fazia uma semana.

Nessa segunda, a Polícia Civil foi comunicada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO) que os militares encontraram um corpo com as características semelhantes às de Hitomi. As buscas ocorreram com a ajuda de cães farejadores.

Com marcas de estrangulamento, o cadáver foi localizado numa região de mata, próximo a uma cachoeira, dentro da propriedade onde funciona a casa espiritual que Hitomi frequentava, comandada por João Teixeira de Faria.

0

Um jovem foi preso e assumiu a autoria do crime. Aos investigadores, o suspeito contou que precisava de dinheiro para pagar uma dívida que tinha com traficantes da região. Por isso, tentou assaltar Hitomi, que reagiu. Com medo de ser denunciado, assumiu ter enforcado a vítima com uma camisa e escondido o corpo.

Segundo os policiais, o rapaz disse que cometeu o crime na terça-feira da semana passada (10/11). Em depoimento, o suspeito falou que, inicialmente, sua intenção era apenas roubar a vítima. Ele acabou enforcando a mulher e escondendo o corpo dela em uma vala.

O homem foi autuado em flagrante pelo crime de ocultação de cadáver e teve a prisão preventiva decretada. O autuado foi encaminhado para a unidade prisional de Alexânia (GO), onde permanece à disposição da Justiça.

Fukushima

O acidente na usina nuclear de Fukushima ocorreu em 11 de março de 2011, na Central Nuclear de Fukushima I, no Japão. A falha ocorreu quando a usina foi atingida por um tsunami provocado por um maremoto de magnitude 8,7, levando ao derretimento de três dos seis reatores nucleares da usina. Segundo a Agência Nacional de Polícia, cerca de 18.430 pessoas morreram.

À época, os níveis de radiação no entorno da usina atingiram quase 10 vezes o limite de segurança estabelecido. Por isso, algumas cidades adjacentes à usina tiveram o acesso proibido, devido ao risco de radioatividade fora do normal.

No início deste ano, um vídeo divulgado no YouTube revelou novas cenas do terremoto em Fukushima. A surpreendente filmagem do canal ANN mostra um aeroporto do país tremendo e, momentos depois, a chegada da forte correnteza de água (veja o vídeo abaixo).

As imagens foram feitas por um passageiro no aeroporto de Sendai, em 11 de março de 2011. O cinegrafista amador, que estava num café, flagrou o tsunami do lado de fora, onde a água submerge caminhões e veículos, tragando a pista por completo em cerca de 1 minuto.

Últimas notícias