Forças policiais ampliam área de buscas por “Novo Lázaro” em Goiás

Trabalhador rural de Gameleira de Goiás disse que deu carona para homem parecido com suspeito de cometer três homicídios em sequência

atualizado 02/12/2021 16:39

Viatura da PM em estrada de terra no município de Gameleira de GoiásVinícius Schmidt/Metrópoles

Gameleira de Goiás – As buscas pelo caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, foram ampliadas pelas forças policiais nesta quinta-feira (2/12). A ação estava concentrada desde segunda-feira (29/11) em Abadiânia, mas averiguações estão sendo feitas em outros municípios da área, como Alexânia e Gameleira de Goiás. O jovem é apontado como autor de três mortes em sequência em Corumbá de Goiás no último domingo (28/11) e teria fugido para a região.

Uma denúncia de um trabalhador braçal, por exemplo, levou equipes da polícia a fazer buscas pelo suspeito na zona rural de Gameleira de Goiás. Ele teria dado carona de moto para uma pessoa desconhecida parecida com Wanderson em uma estrada que leva ao pequeno povoado de Mocambinho.

Depois que a história circulou e viaturas começaram a circular intensamente pela região, a preocupação foi tamanha que os alunos da escola municipal do povoado foram liberados mais cedo.

0

Carona suspeita

Durante a manhã desta quinta, o trabalhador estava em uma motocicleta a caminho da fazenda de soja que trabalha quando deu carona para o homem. Esse homem teria sido levado até a entrada da propriedade, onde teria descido da garupa com o veículo ainda em movimento. Dali, teria corrido na direção de uma mata conhecida como cascalheira, que é na divisa entre duas plantações de soja.

Um colega que vinha logo atrás teria visto a movimentação suspeita, confirmando a história. Intrigado com a situação, o trabalhador rural então procurou a polícia, depois de ter percebido a semelhança entre o caroneiro e o foragido.

Várias viaturas da polícia seguiram na direção dessa fazenda depois que houve a denúncia. Moradores dizem que entre os veículos policiais havia viaturas da CPE. Policiais civis descaracterizados também estiveram no local, entre eles um delegado.

O trabalhador rural que fez a denúncia foi ouvido por policiais militares inicialmente. Uma equipe do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) também esteve no povoado. Ele foi levado para a Delegacia Regional de Anápolis, onde se concentram as investigações.

Viaturas da PM ainda rondavam a região no início da tarde. Policiais militares do Comando de Policiamento Especializado realizavam abordagens na rodovia, mas sem bloqueios na pista.

Nesta quinta,  a informação é que a força-tarefa que fazia buscas pelo suspeito tinha sido desmobilizada. Mas, de fato, as movimentações pela região continuam.

0

Crimes em série

Os crimes em série de Wanderson Protácio teriam sido praticados no fim da tarde de domingo (28/11). De acordo com a Polícia Civil, o jovem teria matado a facadas a própria esposa, Raniere Aranha Figueiró, de 19 anos, e a filha dela, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos.

Na sequência, o caseiro invadiu a casa de um vizinho, roubou o revólver dele e matou a tiros o produtor rural Roberto Clemente de Matos, de 73 anos. Ele teria cometido o crime para roubar uma camionete. Neste mesmo episódio, teria tentado estuprar a esposa da vítima, de 45 anos, não conseguiu e a baleou. A mulher sobreviveu.

A caminhonete roubada foi abandonada em uma rodovia da região. Wanderson vendeu o celular que pertencia a sua esposa a um receptador de Alexânia, que acabou sendo preso. Da cidade, ele fugiu de táxi pelo menos até Abadiânia. Um taxista confirmou ao Metrópoles que fez a viagem e relatou o perigo que enfrentou sem saber.

0

Facadas

Essa onda de crimes não é única passagem de Wanderson pelo mundo do crime. Em 2019, ele esfaqueou várias vezes uma jovem de 18 anos no dia do aniversário dela. O caso foi em Goianápolis (GO). O agressor só parou com os ataques porque a faca quebrou. Ele chegou a ser preso pela tentativa de feminicídio, mas foi solto.

Chama a atenção o caso de Wanderson e as semelhanças com a história do criminoso Lázaro Barbosa, de 32 anos, que cometeu crimes em série no Entorno do DF em junho deste ano. Após cometer homicídios em sequência, o também caseiro passou 20 dias fugindo das forças policiais na região, até ser morto em um confronto no dia 28 de junho.

Mais lidas
Últimas notícias