Após três meses, Hospital de Campanha de Águas Lindas será fechado

De acordo com a Secretaria de Saúde de Goiás, a desmobilização será feita até o fim deste mês, seguindo acordo com o Ministério da Saúde

atualizado 08/10/2020 11:59

Hugo Barreto/Metrópoles

O Hospital de Campanha de Águas Lindas (GO), que começou a funcionar em junho deste ano no município localizado no Entorno do Distrito Federal, será desmobilizado ainda este mês. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde de Goiás (SES-GO) ao Metrópoles.

Desde o início da pandemia, em março, segundo a pasta, a unidade foi planejada para ser uma estrutura temporária e suplementar da rede de atenção à saúde complementando os serviços já disponibilizados pelos hospitais fixos. O Hospital de Campanha é resultado de uma acordo de cooperação entre o Ministério da Saúde e a secretaria.

De acordo com a pasta, antes do término da vigência do acordo, no dia 22 de setembro, a secretaria solicitou que a manutenção da unidade fosse prorrogada. “O posicionamento do Ministério da Saúde, analisando o comportamento da pandemia de Goiás, de estabilização com tendência de queda sustentada, foi de manter a unidade por mais 30 dias, contados a partir da data de expiração do documento que estabelece a cooperação técnica entre os órgãos, ou seja, até dia 22 de outubro”, ressaltou, em nota, a secretaria.

Dessa forma, a pasta inicia o processo de desmobilização do HCamp de Águas Lindas de Goiás para devolvê-lo ao Ministério da Saúde. A secretaria garante não haver prejuízo para a população. “Os pacientes com Covid-19 que necessitarem de internação serão atendidos, prioritariamente, nas demais unidades do Estado, que atuam em rede. Hoje a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid na rede é de 72%, e de Enfermaria Covid, de 48%, o que permite uma desmobilização segura”, assegura.
Com atraso de dois meses, o Hospital de Campanha de Águas Lindas foi entregue pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no dia 5 de junho deste ano. A unidade de saúde era esperança para a população local, que precisa se deslocar para o Distrito Federal em busca de atendimento. São 200 leitos no total. De acordo com a empresa Associação de Gestão, Inovação e Resultados em Saúde (Agir Saúde), que administra o local desde setembro, haviam sete pacientes nos leitos das Enfermarias e onze assistidos internados nas UTIs até terça-feira (6/10).
0

 

Confira as instalações do hospital

Denúncia

Além da desmobilização do Hospital de Campanha de Águas Lindas, funcionários do local denunciam descaso e abandono com os equipamentos e leitos da unidade.

Segundo as denúncias, tanto os maquinários hospitalares quanto os pacientes são transferidos para Goiânia, até mesmo aqueles que estão em unidade de tratamento intensivo (UTI). “Um ou outro paciente não conseguiu sobreviver a essa transferência, por estarem com estado de saúde instável”, conta uma fonte anônima, que preferiu não se identificar por medo de perseguição e represálias.

Ao Metrópoles, e à pedido da Secretaria de Saúde do estado, a Agir Saúde informou que os equipamento não estão abandonados. Em nota, a empresa alega que “os equipamentos (que não estão mais em uso no Hospital) estão armazenados em locais apropriados e seguros”. Ainda, garantem que, uma vez pertencentes à SES-GO, “retornarão à pasta em perfeito estado de utilização e funcionamento”.

Veja imagens dos equipamentos:
0

 

Últimas notícias