Acusado de assédio, prefeito de Luziânia é afastado pela Justiça

Decisão vale por 120 dias. Cristovão Tormin é acusado de assédio sexual e de empregar funcionário fantasma

atualizado 21/02/2020 17:19

Prefeitura de Luziânia/Reprodução

A Justiça de Goiás determinou o afastamento do prefeito de Luziânia (GO), Cristovão Vaz Tormin (PSD), pelo período de 120 dias. O político ficará suspenso das funções públicas sem prejuízo do pagamento das remunerações. A decisão é da desembargadora Carmecy Rosa Maria Alves e foi assinada na última quarta-feira (19/02/2020).

Cristovão Tormin é investigado pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) acusado de contratar funcionário fantasma. O órgão apura a nomeação de Joaquim Chaves de Freitas Carvalho no cargo de chefe de Divisão de Atividades Recreativas, lotado na Secretaria de Esporte e Lazer.

De acordo com o MPGO, Joaquim nunca compareceu à secretaria para trabalhar. O próprio funcionário afirmou aos promotores que ia ao gabinete do prefeito raramente, para fazer serviços particulares para Tormin. Além disso, a investigação apurou que Joaquim é irmão da prefeita de Novo Gama, Sônia Chaves de Freitas Carvalho Nascimento (PSDB), aliada do prefeito de Luziânia.

Tormin é denunciado ainda em 16 ações relacionadas a assédio sexual. Leia reportagem completa no site do parceiro Mais Goiás. Clique aqui.

Últimas notícias