Imagens. Encontrada ossada de mulher executada há dois anos pelo ex

Os restos mortais de Franciele da Silva Moreira, 22 anos, estavam enterrados em um local ermo na área rural de Brazlândia

atualizado 11/12/2018 11:21

Divulgação/PCDF

A Polícia Civil do DF encontrou na noite dessa segunda-feira (10/12) o corpo de Franciele da Silva Moreira, 22 anos, desaparecida há dois anos. Segundo as investigações, ela foi assassinada pelo ex-companheiro e o filho dele. Ambos foram presos preventivamente.

Os policiais prenderam Cláudio da Silva Rosa, 43 anos, e Wilker da Silva Rosa, 25, por feminicídio, ocultação de cadáver e falsidade ideológica. O crime ocorreu em uma chácara, às margens da BR-080, em 4 de dezembro de 2016. De acordo com a PCDF, Cláudio nutria um ciúme doentio por Franciele, que havia rompido o relacionamento.

A ossada da mulher foi localizada em um local ermo na área rural de Brazlândia. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) foram acionados para recolher os restos mortais e fazer a perícia no local. De acordo com investigações da 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia), a vítima foi sequestrada, assassinada e enterrada pelo ex-companheiro e o filho dele.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

 

A vítima teria sido atraída pelo criminoso até sua casa e morta no local com requintes de crueldade. Na noite do crime, Franciele usou uma moto para se encontrar com Cláudio e colocarem um ponto final no relacionamento. As investigações apontam que o homem já havia premeditado o crime usando, inclusive, telefones celulares comprados com linhas em nomes de terceiros.

Corpo enterrado
Após ser assassinada, Cláudio e o filho, que participou de toda a trama, teriam levado o corpo, a moto da vítima e todos os seus pertences para uma área isolada, às margens da DF-220, no sentido do Poço Azul, área rural de Brazlândia. O corpo foi enterrado no local junto com todos os objetos da vítima.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

De acordo com o delegado-chefe da 18ª DP, Adval Cardoso de Matos, o criminoso já havia ameaçado Franciele quando ainda estavam juntos. Mas depois que a separação ocorreu, a situação se agravou. “Mesmo depois de separados, ele não deixava que nenhum homem se aproximasse dela. Como ele não aceitava o término do relacionamento, resolveu premeditar e executar esse crime brutal”, disse.

Wilker, filho de Cláudio, segundo a PCDF, teria aceitado a proposta do pai em participar do assassinato principalmente pelo ódio que nutria por Franciele. “O Wilker tinha muita raiva da vítima por ela ter sido o pivô da separação de seus pais. Então, concordou em executar a ex-companheira do pai”, explicou o delegado.

Mais lidas
Últimas notícias