Empresa baiana administrará leitos para Covid-19 em hospital da PMDF

Associação Saúde em Movimento foi escolhida por R$ 60,8 milhões. Saúde abriu concorrência para obra do Hospital de Campanha de Ceilândia

atualizado 03/07/2020 18:28

Pessoa em UTIHugo Barreto/Metrópoles

Na edição desta sexta-feira (3/7) do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), a Secretaria de Saúde publicou o resultado da concorrência pública para escolha da gestora dos leitos que vão receber pacientes com coronavírus no hospital da Polícia Militar. Na mesma edição, a pasta abre processo para escolha da construtora do Hospital de Campanha de Ceilândia.

A Associação Saúde em Movimento, de Salvador (BA), foi a escolhida para gerir os leitos de pacientes com Covid-19 da unidade hospitalar da PMDF. A empresa já administra um hospital de campanha na capital baiana.

Ao todo, serão 86 leitos de UTI e outros 20 de enfermaria, todos para pacientes infectados pelo coronavírus. A empresa selecionada terá, primeiro, de estruturar o local e, depois, administrá-lo por 180 dias. O valor do contrato é de R$ 60.859.552,80.

Confira a publicação: 

Associação baiana vai administrar leitos de Covid-19 do hospital da PMDF

 

Menor preço

A associação baiana levou a concorrência por oferecer o menor preço para gestão do estabelecimento. Antes, por R$ 85 milhões, o Instituto Med Aid Saúde (Imas) chegou a ser escolhido na contratação emergencial, com contrato assinado em 13 de maio e anulado pelo GDF de forma unilateral, em 10 de junho, por “não cumprimento de cláusulas contratuais, especificações, projetos ou prazos”.

Conforme divulgado pelo Metrópoles, a médica Cinthya Cristina Telles, dona do Imas, sofreu sanção por parte do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). Em seguida, o Tribunal de Contas do DF (TCDF) recebeu informação de que a sócia-administradora do Imas ocupou cargo de diretora do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF) em 2019.

Em Ceilândia

A publicação desta sexta também traz abertura de concorrência com dispensa de licitação para construção de hospital de campanha, com 60 leitos, em Ceilândia. Inicialmente a unidade será específica para atender infectados pela Covid-19, mas passada a pandemia ela será um hospital materno-infantil.

O novo hospital de campanha funcionará ao lado da UPA da cidade, que lidera o número de casos e de mortes decorrentes do novo coronavírus no DF. Dos 60 leitos, 20 serão UTIs.

As empresas de engenharia interessadas na obra têm até as 15h, do próximo dia 8 de junho, para encaminhar suas propostas, via e-mail, para o endereço: dispensadelicitacao.sesdf@gmail.com.

Confira o chamamento: 

 

Concorrência para escolher gestora do Hospital de Campanha de Ceilândia foi aberta

Últimas notícias