UnB não adotará mais Sisu como forma de seleção de estudantes

A nota do Enem continuará sendo usada para ingresso na instituição, mas universidade terá edital próprio para selecionar alunos

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 05/07/2019 14:32

A Universidade de Brasília (UnB) anunciou nesta sexta-feira (05/07/2019) que não adotará mais o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) como forma de admissão para estudantes da graduação. A mudança começa a valer já a partir do primeiro semestre letivo de 2020.

No entanto, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) continuará sendo uma das formas para ingressar na universidade. A diferença é que, a partir do próximo ano, a nota obtida na prova será aplicada no processo seletivo próprio da UnB, e não na plataforma do Ministério da Educação (MEC).

Ou seja, os participantes farão o Enem e, depois, deverão se inscrever no edital específico da universidade. O cadastro será gratuito, pois o estudante já terá pago a taxa de participação no Exame Nacional. Assim como no modelo Sisu, serão reservadas 25% das vagas anuais para ingresso no primeiro semestre.

Igor Outeiral/Secom UnB
Veja como ficarão as formas de ingresso na Universidade de Brasília (UnB)
Mudanças

A decisão foi aprovada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da instituição em 27 de junho. De acordo com nota publicada no site da Secretaria de Comunicação da UnB (Secom), a alteração foi feita porque atualmente há “incompatibilidade entre o calendário acadêmico e o que era estabelecido pelo MEC”.

“Outro problema era o não preenchimento de todas as vagas oferecidas pelo Sisu, sendo necessárias várias chamadas – algo que prejudicava o início do semestre letivo”, diz o texto. A instituição também defende que a evasão escolar entre os estudantes que ingressam na UnB pelo sistema do MEC é maior.

“Após o primeiro ano na universidade, a permanência de calouros do Programa de Avaliação Seriada (PAS) e do vestibular é superior a 90%. No caso do Sisu, esse índice é até 20% mais baixo”.

Outra mudança aprovada é o fim da possibilidade de alterar a opção de curso, turno e campus antes do resultado final da seleção. A medida também começa a valer em 2020.

Últimas notícias