*
 

No ano em que a Universidade de Brasília (UnB) encarou a pior crise financeira de sua história, mais de 6 mil alunos se reuniram para decidir qual chapa ficaria responsável por gerir o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da instituição.

Nesta quinta-feira (14/6), os votos foram computados e os resultados indicaram os vencedores: a Aliança pela Liberdade, que terá mandato de um ano.

A chapa vencedora já passou cinco mandatos consecutivos à frente do DCE. A última gestão, no entanto, era da Unidade para Resistir.

Para vencer, o grupo recebeu mais da metade dos votos: um total de 3.347 estudantes. A última gestora veio logo atrás, com 2.273 indicações, um percentual de pouco mais de 34% dos eleitores.

No total, eram quatro grupos na disputa. Além dos dois mais votados, o Movimento Resistência Universitária (MRU) e o Ousar, Lutar, Universidade Popular! completavam a lista dos concorrentes.

O graduando do oitavo semestre de direito Bruno Henrique de Moura é um dos membros da Aliança pela Liberdade. Ele acredita que a crise tenha influenciado diretamente o resultado das eleições. “Ganhamos em cursos que foram extremamente afetados pela greve.”

Um dos mais prejudicados, o Centro Acadêmico da Faculdade de Agronomia da UnB chegou a amanhecer pichado e vandalizado em um dos episódios das manifestações. Nesta eleição, as urnas no UDFinho, onde votavam os alunos do curso, registraram 313 votos para a Chapa 2, da Aliança pela Liberdade.

Além de escolher a gestão do DCE, os estudantes tiveram a oportunidade de votar para o cargo de representante discente (RD), que participa dos órgãos colegiados superiores da instituição: Conselho Universitário (Consuni); Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe); e Conselho de Administração (CAD).

De acordo com a UnB, a posse deve acontecer às 12h de 29 de junho, no prédio do Instituto Central de Ciências (ICC), campus Darcy Ribeiro.

Confira as urnas e os vencedores em cada unidade:

Divulgação