Professores fazem paralisação e suspendem aulas na UnB por 48 horas

Movimento, que ocorre na quarta e na quinta-feira, é contra os cortes orçamentários na educação e o programa Future-se

Felipe Menezes/MetrópolesFelipe Menezes/Metrópoles

atualizado 01/10/2019 19:26

Professores da Universidade de Brasília (UnB) iniciarão, nesta quarta-feira (02/10/2019), uma greve de 48 horas em protesto aos cortes orçamentários nas instituições públicas. O alvo da manifestação é também o Future-se, programa do Ministério da Educação (MEC) que vai captar recursos junto à iniciativa privada.

A paralisação, denominada Greve Nacional da Educação, é organizada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) e acontecerá no Brasil inteiro.

De acordo com a Associação dos Docentes da UnB (ADUnB), além da greve de dois dias, os professores decidiram, em assembleia, que farão uma representação no Ministério Público contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, pelas reiteradas declarações consideradas “difamatórias” contra as universidades públicas.

A associação ainda se posicionou contra a proposta de que novos docentes sejam contratados por meio do regime CLT. Atualmente, os profissionais são concursados.

 

Na reunião, ainda ficou acertada uma programação a ser seguida pelos professores ao longo desta primeira semana de outubro. Uma das iniciativas é a Marcha pela Ciência e Tecnologia, às 16h, em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados nesta quarta (02/10/2019). A outra é a realização de atos na Rodoviária do Plano Piloto e no aeroporto JK, com a exibição de projetos de pesquisa e extensão na quinta-feira (03/10/2019).

Últimas notícias