Eleição de diretores: escolas do DF atingem média de eleitores

Até o final da tarde, as votações para diretor e vice nas unidades públicas de ensino transcorriam sem problemas: 80% das chapas são únicas

atualizado 27/11/2019 20:40

Ana Karolline Rodrigues/Metrópoles

Servidores, pais, professores e estudantes escolhem, nesta quarta-feira (27/11/2019), os novos diretores e vice-diretores das escolas públicas do Distrito Federal. No total, 683 colégios participam do processo eleitoral 2019. Até o final da tarde, as comissões locais de acompanhamento das eleições não receberam denúncias durante as votações, que permaneceram pacíficas, em geral.

As escolas mantiveram funcionamento normal para os estudantes. Até o início da tarde, a Secretaria de Educação não possuía um levantamento de quantas pessoas votaram: o balanço só será feito pela pasta após o fim das apurações. O número final de votantes e a divulgação do resultado preliminar, sujeito a recursos, só serão divulgados nesta quinta-feira (28/11/2019). O resultado oficial sairá no dia 18 de dezembro, de acordo com o calendário apresentado.

Conforme o Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro), porém, a maioria das unidades de ensino já havia atingido o quórum mínimo de votantes às 17h30 desta quarta. Nas escolas com chapas inscritas, a votação vai até 21h. Segundo a diretora do Sinpro, Rosilene Correia, até o momento, as eleições ocorrem “dentro do previsto”.

“Claro que só saberemos da participação da comunidade após o fim do expediente. Mas esperamos uma grande participação de pais e responsáveis”, afirmou. “Tivemos problemas pontuais, algumas irregularidades na condução do processo, de propaganda eleitoral, mas são coisas que acontecem. As eleições, mesmo, têm ocorrido de forma tranquila, dentro do esperado, inclusive de participação”, destacou Rosilene.

Na Escola Classe da 204 Sul (voto abaixo), a votação seguia pacífica nesta tarde. Na unidade, as turmas vão até o 5° ano, não havendo alunos com idade para votar: só podem participar estudantes com 13 anos ou mais. De acordo com Flávia Abdão, presidente da comissão eleitoral da escola, o movimento de pais de alunos no local foi grande pela manhã. “Foi bem expressiva a votação. Apesar de aqui ser turno integral, os pais compareceram [cedo] e foi bem tranquilo até agora”, disse.

O colégio, que apresenta chapa única para esta eleição, aguarda cerca de 200 pessoas até as 21h e tinha registrado 110 votantes até as 15h. “Os pais buscam mais no final do dia, às 18h, então ainda pode haver até uma maior movimentação mais tarde”, considerou Flávia, no início do período vespertino.

Ana Karolline Rodrigues/Metrópoles

 

O clima de tranquilidade e expressiva participação dos responsáveis foi o mesmo na Escola Classe da 102 Sul. Também sendo uma unidade com turmas até o ensino fundamental I, poucos alunos têm idade para escolher entre manter a chapa única na direção da escola ou não. “Temos alunos especiais, que já têm 13 anos ou mais e votaram acompanhados dos pais”, contou a presidente da comissão, Quelem Rodrigues.

“Os pais têm participado bastante aqui. Os professores também estão bem envolvidos. Vamos passar a quantidade de votantes deste ano em relação à eleição passada se mantivermos essa participação até o fim do processo”, avaliou. Segundo ela, 300 pessoas estão aptas a votar e mais de 100 tinham registrado voto até as 15h30.

Mãe de aluno e professora há 12 anos na escola, Luciene de Azevedo vota pelos dois segmentos e relatou à reportagem que as eleições “sempre foram muito tranquilas” na unidade. “Há uma grande participação dos pais. Mais de 30% deles sempre votam, porque conhecem a proposta, se interam”, reforçou.

Também pai de estudante e professor da escola, William Cardoso acredita que, pelo fato de a chapa ter como candidatos os profissionais da atual gestão, há uma maior participação dos responsáveis. “As eleições sempre foram tranquilas aqui. Talvez por já conhecerem o diretor, os pais participam mais”, avaliou.

Ana Karolline Rodrigues/Metrópoles

 

No Centro de Ensino Médio Setor Oeste (CEMSO), localizado na 912 Sul, a comissão eleitoral esperava cerca de 700 eleitores, entre pais, professores, servidores e os alunos.

“Precisamos de 50% do seguimento de professores e servidores e 10% do quórum de pais e alunos e já passamos dos dois. Já tivemos mais de 80% de votos de professores e mais de 50% de alunos”, destacou Eliseu Amaro Pessanha, presidente da comissão eleitoral do CEMSO.

Duas chapas disputariam o comando do colégio. No entanto, no último dia 20, segundo Pessanha, a chapa 2 foi impugnada por não obedecer a um item do edital. “Vice e diretor têm que ter trabalhado ao menos uma vez na escola, de acordo com o edital. Só que a comissão eleitoral local deixou passar que o vice dessa chapa nunca tinha trabalhado aqui. Então o presidente renunciou e a comissão eleitoral central impugnou a chapa”, explicou Pessanha.

Apesar de a atual comissão local e a chapa impugnada terem tido um desentendimento por conta do ocorrido, ele relata que o fato não atrapalhou as votações desta quarta. “Como a divulgação da impugnação ocorreu no dia 20, deu tempo para preparar as cédulas para chapa única. Então, não tivemos problema com a eleição hoje”, pontuou.

Ana Karolline Rodrigues/Metrópoles

Escolas sem candidatos

De acordo com a Secretaria de Educação, pelo menos 23 unidades escolares não tiveram candidatos e, assim, não promoveram votação nesta quarta. Nesse caso, a pasta indicará uma nova diretoria e uma outra eleição ocorrerá em 180 dias. Se novamente não for eleita a chapa candidata, o diretor e vice indicados pela secretaria permanecem na gestão.

O mesmo processo ocorrerá nas unidades em que a votação em chapa única tiver maior quantidade de votos em branco e naquelas que eventualmente o quórum mínimo de votantes não seja atingido.

Últimas notícias