Educação básica: DF fica abaixo da meta em todas as etapas do Ideb

Apenas os estados do Amapá, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul tiveram desempenho tão ruim quanto o da capital federal

atualizado 15/09/2020 12:05

Daniel Ferreira/Metrópoles

Os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgados nesta terça-feira (15/9) pelo Ministério da Educação, não são positivos para o Distrito Federal. Isso porque, de todas as categorias avaliadas – anos iniciais e finais da educação básica e ensino médio –, a capital do país não atingiu a meta em nenhuma.

Somente três unidades federativas tiveram desempenho abaixo do esperado, além do DF: Amapá, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. A performance, no geral, até apresentou melhoras em relação ao início da série histórica, em 2005. A pontuação do DF saiu de 4,8 pontos para 6,5 nos anos finais da educação básica. Entretanto, ainda é 0,1 ponto abaixo do objetivo.

0

Já para os anos finais do ensino fundamental e no ensino médio, não há arredondamento que faça a educação do DF passar de ano. O resultado do 5º ao 8º ano ficou 0,5 pontos aquém do projetado (5,6) e o ensino médio, 0,7 (5,2).

Nacionalmente, os resultados mostram que o país alcançou um índice igual a 5,9 em relação aos anos iniciais do ensino fundamental, em 2019, superando a meta em 0,2 ponto. Os dados levam em consideração as redes pública e privada.

Os estados do Ceará e do Piauí superaram o plano em 1,3 e 1,1 ponto, respectivamente. Já em relação aos anos finais do ensino fundamental, os resultados do Ideb mostram que, apesar de o país ter melhorado seu desempenho, alcançando, em 2019, um índice igual a 4,9, a meta proposta (5,2) não foi atingida. Das 27 unidades da Federação, 22 aumentaram o Ideb, contudo, apenas sete alcançaram a meta proposta para 2019.

Rede pública

Nos anos iniciais da educação básica do Distrito Federal, o resultado da rede pública apresentou melhora de 1,7 ponto em relação a 2005 – de 4,4 para 6,1. Ainda assim, o resultado ficou 0,2 ponto abaixo da meta.

Para os anos do ensino fundamental, um cenário novamente apresentou melhora em relação a 2005. Contudo, o aumento de 1,3 ponto (de 3,3 para 4,6), não foi suficiente para alcançar a meta, ficando 0,4 ponto aquém.

E o aumento em progressão aritmética dos pontos faltantes para atingir a meta continuou. Dessa forma, o resultado da educação pública do DF no ensino médio ficou 0,6 ponto de atingir a meta de 4,6, apesar do crescimento de 1 ponto em comparação ao ano de 2005.

Rede privada

O desempenho da rede privada até puxou a média do DF para cima, mesmo não tendo atingido seus objetivos. Os anos iniciais da educação básica apresentou melhora de 1,2 ponto (de 6,4, em 2005, para 7,6), a mero 0,1 ponto do objetivo (7,7).

Já os anos finais do ensino fundamental particular cresceu 0,8 ponto no mesmo período. Contudo, o desempenho de 6,8 foi meio ponto abaixo da meta para a modalidade (7,3).

Por fim, o ensino médio ficou ainda mais distante de seus objetivos. Apresentando melhora de apenas 0,3 ponto desde 2005 (5,9 para 6,2), a distância para a meta dos últimos três anos da educação básica foi de 0,9 (7,1).

Últimas notícias