*
 

Uma manifestação de pais, alunos, funcionários e professores ocorreu nesta quinta-feira (9/8) no Centro de Ensino Médio (CEM) 10 de Ceilândia. Segundo os organizadores, cerca de 400 pessoas compareceram ao protesto. A escola está fechada desde maio de 2016 para obras e ainda não foi entregue.

A reforma deveria resolver os problemas nas instalações e na estrutura do local. Mas, de acordo com os organizadores, as obras ainda não tiveram início. Os 700 alunos foram realocados para onde funciona o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 29. A unidade educacional, situada na QNQ, abre apenas quando outra escola da região é desligada. O Governo do Distrito Federal (GDF) fornece ônibus de deslocamento até o endereço, mas pais se queixam da falta de segurança.

Um dos participantes da manifestação relatou que a desistência de estudantes aumentou muito depois da mudança de local. Ainda segundo o professor, a distância entre as localidades continuou sendo um problema, apesar da frota de ônibus.

Os jovens matriculados no turno vespertino compareceram ao mesmo local, às 13 horas, para outra mobilização.

Secretaria de Educação
Em nota, a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) informou que a planta arquitetônica do CEM 10 de Ceilândia já foi concluída. “Os projetos complementares estão em fase de elaboração, e, tão logo estejam finalizados, será aberta licitação para contratação da obra, e, assim que houver disponibilidade financeira, trâmites já em andamento, os serviços serão iniciados”, comunica.

Está prevista a inclusão de pontos de acessibilidade para deficientes físicos, diferentemente da arquitetura original. A nota ressalta também que os alunos transferidos estão com o atendimento pedagógico necessário e as instalações do CEF 29 são apropriadas.