É fake: estelionatários usam nome do Aeroporto de Brasília para aplicar golpe pelo WhatsApp

Pelo aplicativo ou telefone, criminosos avisam vítimas que um presente está retido na alfândega e pedem dinheiro para liberá-lo

atualizado 18/10/2021 20:58

aeroporto de Brasília

A Inframerica, administradora do Aeroporto de Brasília, emitiu, nesta segunda-feira (18/10), um comunicado de alerta sobre golpes que estão sendo aplicados utilizando o nome do terminal de cargas e da Alfândega da Receita Federal.

Segundo os relatos, na maioria das vezes, os criminosos fizeram contato por meio de uma ligação telefônica e, depois, deram continuidade pelo WhatsApp. Algumas vítimas contaram ter recebido uma mensagem ou ligação informando haver uma encomenda vinda do exterior e até dinheiro em forma de presente com os dados delas, mas que estava retida pela Alfândega da Receita Federal e, para liberá-la, seria necessário o pagamento de uma determinada quantia.

Pelo WhatsApp, os golpistas criaram um contato comercial e as logomarcas oficiais da Inframerica, do Aeroporto de Brasília ou da Receita Federal no perfil.

0

Em outros casos, o contato com as vítimas era mais longo. Os golpistas criaram personalidades falsas de pessoas que moram no exterior e, por meio da sedução, conseguiam estabelecer um laço de confiança com as vítimas, que acreditavam estarem conversando com pessoas reais. Depois de um tempo de “relacionamento”, a vítima era informada pelo golpista que receberia uma encomenda, mas ela ficaria retida na Receita Federal e seria necessário pagar um valor para liberá-la.

Os valores para a liberação da encomenda eram sempre acima de R$ 1 mil e as formas de pagamento combinadas com a suposta Receita Federal ou terminal de cargas pelo WhatsApp fake.

Para alertar a população, a Inframerica reforça que o terminal de cargas do Aeroporto de Brasília e a Alfândega da Receita Federal não entram em contato por telefone ou aplicativos de mensagem para avisar sobre retiradas de mercadorias, muito menos cobra antecipadamente do cliente para uma posterior entrega do produto.

Para qualquer dúvida ou esclarecimento, a vítima deverá entrar em contato com o TECA pelo telefone (61) 3214-6601 / 6684.

Mais lidas
Últimas notícias