Django, o cão farejador, se recupera e participa de operação da PCDF

A história do animal ficou conhecida após ele fugir e ser encontrado debilitado pelo dono, um policial da 30ª DP (São Sebastião)

atualizado 30/11/2018 17:34

O cão farejador Django, que auxilia a Polícia Civil do Distrito Federal, realizou nessa quinta-feira (29/11) a primeira operação após sair do processo de internação. Ele teve que permanecer em fase de recuperação por cerca de 15 dias após fugir e ficar muito debilitado.

O treinador Ricardo Textor, que é policial civil, explica que Django ainda não está 100%, mas já pode voltar a campo para ajudar no combate às drogas. Nessa quinta (29), o cachorro participou da Operação Cecidit Domus. Durante busca em São Sebastião, encontrou 300 gramas de cocaína, um revólver e 10 munições.

Ao todo, foram presas nove pessoas durante a ação desencadeada pela 30ª DP (São Sebastião). Entre elas, o traficante conhecido por Danda da Ceilândia, apontado como um dos principais fornecedores de drogas da cidade, e “Nem”, que teria o domínio de bocas de fumo dos bairros Vila do Boa e Vila Nova, na mesma região administrativa.

No dia 5 de outubro, Django fugiu do canil onde estava, em Sobradinho. O cão foi encontrado após 18 dias de buscas intensas. Estava 11 kg mais magro, desidratado e machucado.

Textor diz ter vivido “dias de angústia e dedicação integral” na procura pelo cachorro. Django mora com o policial civil desde que nasceu. Hoje, com 3 anos de idade, coleciona apreensões pela corporação.

Últimas notícias