DF: vacinação de crianças contra Covid priorizará orfanatos e abrigos

Segundo a Secretaria de Saúde, crianças em situação de vulnerabilidade serão priorizadas na nova fase da campanha de imunização local

atualizado 07/01/2022 16:57

VacinaRafaela Felicciano/Metrópoles

Crianças em abrigos e orfanatos terão prioridade na vacinação contra Covid-19 no Distrito Federal. Segundo o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, a rede pública local aguarda a chegada da nota técnica do Ministério da Saúde e das doses de vacina específica aos pequenos para definir a campanha de imunização infantil. O DF tem, no total, 268 mil crianças de 5 a 11 anos.

“Nossa meta é vacinar as 268 mil crianças. O ideal seria vacinar todos de uma vez. Se vamos conseguir começar pela totalidade ou parcialidade, vai depender da nota técnica e de quantas doses vamos receber. Estamos fazendo os levantamentos para a formulação da campanha. Mas já podemos garantir, independentemente do que vier, que as crianças que vivem em instalações como abrigos e orfanatos e com problemas de saúde serão priorizadas”, contou Valero.

0

A nota técnica do Ministério da Saúde indicará quais serão os critérios para ter prioridade na vacinação, as regras para aplicação, o volume das doses e qual seringa deverá ser usada.

“O documento dirá se devemos começar a vacinação pelas crianças mais velhas ou pelas mais novas. Também vai apontar quais doenças associadas devem ser definidas como critério de prioridade. A gente não inventa a roda. Esperamos a nota técnica, e adequamos à nossa realidade”, explicou o subsecretário de Vigilância à Saúde.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou 17 recomendações para a vacinação infantil. Por exemplo, o órgão sugere que as crianças permaneçam no local por pelo menos 20 minutos após a aplicação do imunizante. O objetivo é observar a situação dos pequenos. Dessa forma, caso ocorra alguma reação adversa, o atendimento será prestado imediatamente.

O documento também indica a criação de um ambiente específico para a imunização da meninada, separado de jovens e adultos.

Mais lidas
Últimas notícias