DF termina 2020 com inflação de 3,4%, o menor índice registrado no Brasil

O número também foi menor se comparado a 2019, quando ficou na casa de 3,76%

atualizado 12/01/2021 16:20

Michael Melo/Metrópoles

O Distrito Federal terminou o ano de 2020 com a menor variação de preços entre as 16 localidades pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IPCA ficou em 3,4%, abaixo da média nacional de 4,52% e também apresentou variação menor que em 2019, quando ficou em 3,76%.

Levando em consideração apenas o mês de dezembro, Brasília também ficou entre os menores resultados. A alta de preços ficou em 1,12% contra 1,35% da média no país e 1,62% no mesmo período para a capital no ano anterior.

O grupo de produtos que engloba peças de vestuário foi o que apresentou o maior aumento mensal, com 2,03%. Apesar disso, foi o único com variação negativa quando observada a variação acumulada no ano (-0,87%).

Já a parte de habitação, que concentra gastos com energia elétrica e saneamento, teve a segunda maior variação em dezembro (1,99%) e o segundo maior impacto no índice mensal (0,26 ponto percentual). O acumulado no ano foi de 3,09%.

Alimentação e bebidas ficaram em terceiro lugar entre as responsáveis pelo aumento dos preços: 1,53% em dezembro, e impacto de 0,25 ponto percentual no índice do mês (terceiro maior). Banana prata (22,23%) e maçã (21,33%) foram as frutas que mais encareceram. Farinha de mandioca (10,82%) também pesou no bolso do consumidor em dezembro. Por outro lado, o tomate (-14,62%), o pimentão (-9,58%) e a alface (-5,08%) tiveram reduções consideráveis.

No acumulado no ano, o grupo teve variação de 10,78%, a maior entre os grupos pesquisados, mas abaixo dos 14,09% registrados no Brasil. O óleo de soja mais que dobrou o preço com relação ao ano de 2019, com aumento de 119,24% no Distrito Federal. A variação do arroz ficou em 72,14% e a do feijão preto em 48,51%. Tomate (51,64%), cenoura (46,93%) e batata inglesa (46,68%) também registraram preços que dispararam.

Transportes encareceram em dezembro

O grupo transportes apresentou aumento de 1,24% e teve o maior impacto no índice de dezembro. O transporte por aplicativo teve o maior aumento em relação ao mês anterior, com  (44,39%). Passagem aérea (19,84%) e ônibus interestadual (9,61%) também subiram.

No acumulado de 2020, passagem aérea (-20,01%) e transporte por aplicativo (-18,71%) tiveram as maiores quedas. Enquanto pneu (21,99%), ônibus urbano (10%) e metrô (10%) as maiores altas.

0

Últimas notícias