DF: mulher acusada de matar mãe para ficar com herança vai a júri

Cátia Nunes teria planejado assassinar a professora Maria do Carmo Nunes. Corpo foi achado carbonizado na região do de Sobradinho

atualizado 10/03/2020 10:59

Corpo de professora é encontrado dentro de carro carbonizadoReprodução/PMDF

Uma mulher que matou a própria mãe carbonizada há oito anos vai a júri popular na manhã desta terça-feira (10/03), em Sobradinho. Cátia Nunes foi presa em 17 de maio de 2018 por policiais da 35ª DP (Sobradinho II), após os investigadores concluírem que ela era mandante do crime, ocorrido em 9 de setembro de 2012, na DF-326, perto do Polo de Cinema e Vídeo em Sobradinho.

A motivação do assassinato teria sido por questões financeiras. Segundo as investigações, Cátia planejava herdar o patrimônio da mãe, a professora Maria do Carmo Nunes, 65, aposentada do Ministério da Educação. O namorado da acusada, identificado como Wilton, teria sido um dos executores do crime. Em um acordo de delação premiada, ele assumiu a autoria e já cumpre pena.

O assassinato ocorreu em um domingo, por volta das 21h30. O corpo da professora foi encontrado carbonizado dentro de seu veículo, um Corsa Classic cor cinza, na estrada que liga a Fercal a Sobradinho, próximo ao Polo de Cinema, no dia 9 de setembro de 2012.

O veículo ficou destruído pelo fogo. A  Polícia Civil passou a investigar que o corpo poderia ser de uma mulher, mas somente o laudo pericial poderia confirmar a suspeita.

Na noite do crime, uma guarnição da PM conseguiu contato com a filha da proprietária do veículo, que informou aos policiais que a mãe teria saído de casa na parte da tarde para fazer compras no mercado Comper, em Sobradinho, e, até aquele momento, não tinha retornado. Devido à complexidade e envolvimento de parentes, as investigações correram em segredo de Justiça.

Últimas notícias