DF: mãe de rapaz que ficou com faca nas costas: “Nasceu de novo”

Homem esperou 44 horas por cirurgia e, após ter sido transferido, foi operado no Hospital Regional do Paranoá

atualizado 18/02/2020 10:56

Hugo Barreto/Metrópoles

Após cerca de 44 horas de espera, o homem, 29 anos, que ficou com uma faca cravada nas costas passou por cirurgia no Hospital Regional do Paranoá (HRPa), na noite dessa segunda-feira (17/02/2020). Em entrevista ao Metrópoles, familiares da vítima informaram que o procedimento começou por volta das 22h e terminou à 0h35.

“Foi um sufoco grande tudo o que nós passamos nesses quase dois dias. Meu filho deu entrada no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) às 1h30 da madrugada de domingo (16/02/2020). O caso dele era grave. Foi horrível. Estava sentindo dor, com as pernas formigando, deitado de bruços e os exames apontaram que a lâmina de 10 cm estava a cerca de 1,49 cm do coração”, explicou a mãe do rapaz, que preferiu não se identificar.

Ainda segundo a mulher, agora resta esperar pela recuperação do filho. Os três primeiros dias serão fundamentais para um diagnóstico mais preciso. “O médico explicou que vai depender do organismo dele para sabermos se ficará com alguma sequela. Graças a Deus, a cirurgia foi bem-sucedida. Há informações de uma artéria comprometida, mas a situação está melhor do que a gente esperava. Eu já tive contato com meu filho após a cirurgia e ele está consciente, sem dor. Passa muito bem”, garantiu.

0

A vítima tem dois filhos e trabalha como pintor no DF. “Ele é forte. Estamos focados na recuperação. O meu filho nasceu de novo. O médico falou que agora ele tem duas datas de aniversário. Eu vou fazer os dois bolos com o maior prazer. Foram momentos angustiantes. É muito ruim para uma mãe ver um filho nessa situação. Nós não sabemos por que fizeram isso com ele. Meu filho não tem rixa com ninguém. É um homem trabalhador e de boa índole”, garantiu.

Apenas a lâmina ficou cravejada nas costas. Depois de receber o golpe em uma distribuidora do Recanto das Emas, o homem, cuja identidade a família quer preservar, caiu no chão e a faca quebrou.

Leandro Oliveira, 32, compadre da vítima, disse que ele deve subir para o quarto ainda nesta terça-feira (18/02/2020). “Estamos estarrecidos com tudo o que aconteceu. Principalmente pelo descaso que teve por parte da saúde pública. Mas agradecemos por ainda ter gente que se preocupa com a vida do próximo. Um médico que acompanhava a situação prontamente resolveu fazer a cirurgia”, comentou Leandro.

A Secretaria de Saúde confirmou, em nota nesta terça-feira, que o paciente foi transferido para o Hospital da Região Leste (Paranoá) na tarde dessa segunda-feira (17/02/2020) e foi operado à noite.

“O procedimento foi realizado pela equipe de especialistas em coluna, com apoio de cirurgiões gerais. A cirurgia transcorreu normalmente. Nesta terça-feira (18/02/2020), o paciente deve ter alta da UTI”, informou a pasta.

O homem precisou esperar esse tempo todo porque o hospital de Taguatinga em que estava não tem neurocirurgião. Segundo a Secretaria de Saúde, o HRT está com bandeira vermelha em ortopedia, cirurgia geral e clínica médica. Nessa segunda-feira, o pronto-socorro adulto tinha 112 pacientes internados, mas a capacidade é de 68. No plantão da manhã desta terça-feira, havia dois ortopedistas, dois cirurgiões e um clínico médico.

“Os hospitais podem decretar a bandeira vermelha para atendimento nos prontos-socorros devido à alta demanda de atendimento e internação. Isso ocorre, geralmente, por haver insuficiência de estrutura física (número total de leitos ocupados), o que impede o acolhimento de novos pacientes”, explicou a Saúde, por nota na segunda-feira.

Últimas notícias