*
 

O trabalho de escoramento do viaduto que desabou sobre a Galeria dos Estados deve ter início até esta sexta-feira (9/2). Pilares de metal preparados pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) chegaram ao local nesta quinta (8). Em outra frente, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) trabalha para tirar do papel, até o final do Carnaval, os desvios que vão garantir o fluxo de veículos no centro da capital.

Como a recuperação ou demolição do viaduto não tem data para começar nem terminar, as autoridades de trânsito decidiram instalar retornos que vão permitir contornar a região e dar melhor fluidez. Desde que o viaduto desabou, na terça (6), os motoristas enfrentam engarrafamentos gigantescos.

Equipes do DER e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) estiveram nas imediações do acidente na tarde desta quinta para fazer o levantamento topográfico e limpar a via. Segundo o DER-DF, quando os desvios forem ativados, os veículos terão acesso mais rápido ao Eixão Sul, que está parcialmente interditado. A expectativa do GDF é de que antes do próximo dia 19 as alterações no trânsito estejam concluídas

De acordo com o novo diretor do DER, Márcio Buzar, serão quatro desvios, todos asfaltados, que cortarão a área central, ampliando as faixas já existentes. Essas novas vias serão construídas onde hoje há gramados (veja imagem abaixo).

Reprodução/DER

 

Ao fim dos trabalhos, novas pistas vão desviar o tráfego do Eixão Sul para os Eixinhos. As alças que vão ligá-los irão do Buraco do Tatu até a altura do Setor de Autarquias Sul, no sentido norte-sul, e o contrário, na direção inversa (sul-norte).

Perto do Buraco do Tatu, o governo vai alargar as vias que hoje conectam os Eixos L e W ao Eixão com duas novas faixas em cada alça. No outro ponto, na altura do Setor de Autarquias Sul, será necessário construir novas ligações em cada lado para unir Eixinhos e Eixão.

Escoramento
Já o escoramento no viaduto vai evitar novos desabamentos e possibilitar a coleta de amostras, a fim de que as causas da queda sejam investigadas. Segundo o DER, o trabalho de instalação dos pilares deve levar cerca de um semana.

A estrutura despencou por volta das 11h50 da última terça-feira (6). Imediatamente, fotos e vídeos inundaram as redes sociais. As pessoas não acreditavam no que viam: o asfalto desmoronando em plena área central de Brasília. “Parecia coisa de filme”, disse o bancário Jonatas Almeida, 43 anos, que costuma passar pelo local todos os dias a caminho do trabalho.