Coronavírus: PM registra aumento de 52% nos casos de policiais contaminados

De acordo com a corporação, 32 homens testaram positivo para a doença na segunda-feira (18/05) contra 21 na terça da semana passada (12/05)

atualizado 20/05/2020 23:07

policiais fazendo exame de sangueHugo Barreto/Metrópoles

Com o maior efetivo entre as forças de segurança do Distrito Federal, a Polícia Militar (PMDF) registrou aumento de 52,3% nos casos de policiais contaminados pelo novo coronavírus, nos últimos seis dias. De acordo com dados fornecidos pela corporação, 32 homens testaram positivo para a doença nessa segunda-feira (18/05) contra 21 contabilizados na terça da semana passada (12/05).

Ao todo, a corporação conta com cerca de 10,3 mil homens e é responsável pela aplicação do policiamento ostensivo e preventivo em todas as regiões administrativas do DF.

As estatísticas ainda apontam para outros 14 PMs que se curaram, além de uma morte – a do sargento Romildo Pereira, 50 anos, ocorrida na tarde de 2 de abril.

Nas ruas, as tropas ficam expostas durante o contato físico com suspeitos presos ou mesmo no atendimento direto às vítima de crimes. Unidades operacionais como o Batalhão de Choque (BPChoque) ou quartéis em pontos estratégicos, a exemplo do 19º Batalhão (BPM), dentro do complexo penitenciário da Papuda, registraram casos de Covid-19 recentemente.

No entanto, policiais e familiares procuraram o Metrópoles para relatar que nem todos foram submetidos aos testes rápidos.

“Eu não posso me identificar para não prejudicar meu marido, mas ele é policial do BPChoque e faz parte do grupo de risco. Essa informação de que eles (os militares) passaram por teste não é verdadeira”, disse a companheira de um dos militares ouvida pela reportagem.

0

Grupo de risco

Segundo a mulher, o policial não fez o exame que detecta a Covid-19 e o sentimento é de receio e apreensão.

“Estamos muito preocupados, pois ele continua trabalhando normalmente. Além dele, os nossos filhos também são do grupo de risco, o que aumenta nossa preocupação”, apontou.

De acordo com ela, os policiais que fizeram o teste conseguiram por conta própria. “Essa situação é um risco para os policiais e suas famílias. Sem contar a população, com quem eles têm contato diariamente”, alertou.

Nesse domingo (17/05), o Metrópoles publicou matéria mostrando que policiais do 2º BPChoque foram atingidos pela pandemia provocada pelo novo coronavírus. Cinco homens do pelotão testaram positivo para a Covid-19, enquanto outros apresentavam os primeiros sintomas da doença.

Antes de serem isolados, os contaminados revezaram camas no alojamento da unidade e permaneceram em ambientes fechados com outros companheiros.

Em resposta, o Centro de Comunicação Sociais da PM (CCS) afirmou que o comando do batalhão decidiu começar o processo de desinfecção das dependências da unidade operacional. De acordo com a corporação, o restante dos cerca de 200 policiais que integram os dois pelotões do Choque foram testados com exames rápidos e os resultados deram negativo para coronavírus.

A PM confirmou que novo processo de desinfecção vai ocorrer nas estruturas da unidade nesta terça-feira (19/05). A corporação também entrega uma terceira remessa das máscaras de proteção. Foram adquiridos mais de 31 mil equipamentos do tipo, 15 mil frascos de álcool em gel e luvas descartáveis.

0

Mais casos

Além dos policiais lotados no BPChoque que testaram positivo para a Covid-19, outros militares que prestam serviços em unidades como o 15º BPM (Estrutural) também estão com a doença e foram afastados.

No dia 12 de maio, o Metrópoles revelou que no interior do Complexo Penitenciário da Papuda, o 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM) perdeu o posto de único lugar no sistema carcerário sem registros de contaminação pelo novo coronavírus.

Apesar de a corporação afirmar apenas um caso, integrantes do batalhão relataram que seriam, pelo menos, cinco PMs infectados. A unidade em questão abriga ex-policiais e ex-bombeiros condenados pela Justiça. Nas carceragens, também ficam presos militares que aguardam julgamento e advogados condenados ou que esperam veredito judicial.

 

 

Últimas notícias