Coronavírus: em uma semana, movimento no metrô do DF cai 35%

De acordo com órgão responsável pelo transporte, queda foi natural: não há restrições para o uso dos trens na capital federal

atualizado 17/03/2020 14:40

Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) afirmou que a movimentação de passageiros caiu 35% na comparação entre o registrado na segunda-feira (16/03) e o mesmo dia da semana passada (09/03). De acordo com o órgão, a diminuição foi natural porque não há restrições impostas ao número de usuários causadas pelas medidas contra a transmissão do novo coronavírus.

Há três providências principais sendo tomadas para que os passageiros sejam protegidos contra o Covid-19. A primeira delas tem a ver mais com prevenção e informação: são veiculadas mensagens educativas pelo sistema de som das estações e dos trens.

Também desde a última quarta-feira (11/03), a limpeza geral foi reforçada. “Nas estações Central, Terminal Samambaia e Terminal Ceilândia, (equipes) estão executando a chamada ‘limpeza entre viagens’, priorizando a desinfecção dos pega-mãos e, nas estações, atenção especial às bilheterias e aos bloqueios (catracas)”, diz nota divulgada pelo Metrô-DF.

Por fim, as janelas basculantes ficam abertas durante todas as viagens. O objetivo é favorecer a circulação do ar para também evitar o contágio do coronavírus.

Desde a segunda-feira (16/03), a empresa responsável pelos trens no DF reduziu a jornada e instituiu teletrabalho, nos casos em que isso é possível.

A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) confirmou todas as medidas no metrô. Também garantiu que o mesmo tipo de operação de limpeza está sendo feita nos ônibus do Distrito Federal.

Últimas notícias