Coronavírus: decisão da UnB de manter aula é criticada por alunos

De acordo com entrevistados pela reportagem, toda a comunidade está apreensiva com a situação mundial

atualizado 16/03/2020 12:15

ICC da Universidade de Brasília: pauta de coronavírusRafaela Felicciano/Metrópoles

A Universidade de Brasília (UnB) tem aulas normalmente, mesmo com o decreto do governador Ibaneis Rocha com medidas contra a propagação do novo coronavírus. As escolas públicas e particulares do DF, por exemplo, estão sem aulas durante cinco dias. A instituição federal, porém, afirmou que não há previsão de suspensão do calendário acadêmico.

No entanto, a movimentação no Instituto Central de Ciências (ICC) da UnB está menor que em dias normais. Na manhã desta quinta-feira (12/03), o Metrópoles esteve no local e entrevistou funcionários e alunos apreensivos com a situação no DF.

0

O jovem Douglas Ataides Sousa Lobo, 19 anos, é estudante de ciências políticas. Segundo ele, como as outras instituições de ensino resolveram paralisar as atividades nos próximos cinco dias, não faz sentido apenas os alunos da UnB continuarem estudando.

“A gente parte da lógica que se é necessário evitar grandes aglomerações e contato direto, aqui na UnB, a medida também deveria ser levada em consideração. Estamos em um local de grande circulação de pessoas. Parar tudo, menos aqui, não tem explicação.”

A situação de cuidado com o Covid-19 foi ampliada depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu como pandemia o avanço da doença. A reclassificação ocorreu depois que o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarou que a ameaça de uma pandemia do coronavírus se tornou “bastante real”.

Providências

Lucas Rodrigues Ramos, 19, que cursa o segundo semestre de ciências contábeis, também é a favor da suspensão das aulas. “Se a situação se agrava, todos deveriam ser preservados da mesma forma. Acreditamos que a UnB deve tomar providências nos próximos dias”, opina o estudante.

“É uma doença desconhecida e, querendo ou não, a gente fica com receio de um colega que tussa, um ambiente fechado. Não sabemos como isso pode se propagar rápido ou não. Fora que os banheiros aqui nem tem sabão para a higienização das mãos. Quem dirá, álcool em gel”, afirma Lucas.

A estudante do primeiro semestre de serviço social Lívia Grazielly Mesquita Matos, 18, relatou que está com medo. “Primeiro, estamos acompanhando os noticiários e observando a proporção que o coronavírus está tomando no Brasil e pelo mundo. É preocupante. Acredito que a UnB deve paralisar as aulas para para prevenir a comunidade acadêmica”.

De acordo com Lívia, a situação deixa todos na UnB muito apreensivos. “Hoje, o campus já está bem vazio, diferente dos outros dias. O quanto antes eles analisarem essa situação e prevenir alunos e funcionários, melhor”, conclui.

Últimas notícias