Confira horários de funcionamento do Na Hora e conselhos tutelares no DF

Reabertura recebeu críticas de servidores, mas Sejus afirma que todos os cuidados foram tomados para a retomada

atualizado 10/06/2020 11:52

Allane Moraes/Especial para o Metrópoles

Na edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) publicado nesta segunda-feira (08/06), o governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou a volta dos atendimentos presencias nos conselhos tutelares e postos do Na Hora, a partir desta terça-feira (09/06).

De acordo com o decreto, os conselhos tutelares deverão atender o público das 12h às 18h, de segunda a sexta-feira, assim como o Centro 18 de Maio. As unidades de Ceilândia e Estrutural não devem funcionar para o atendimento presencial por causa das medidas restritivas nessas cidades.

O atendimento será feito em regime de plantão e sobreaviso por meio da Coordenação do Sistema de Denúncias de Violação de Direitos da Criança e do Adolescente, nos telefones 3213-0657, 3213-0763, 3213-0766 ou por e-mail: [email protected]

Já os postos do Na Hora prestarão serviço com todos os funcionários e servidores públicos das 8h às 17h30 (com exceção daqueles que ficam dentro de shoppings e obedecem o horário do centro comercial. O de Ceilândia não funcionará por enquanto, também por causa das medidas restritivas.

O Na Hora funciona com os seguintes serviços: BRB Serviços, Caesb, CBMDF, CEB, Codhab, Defensoria Pública do DF, Detran, PCDF (carteira de identidade), Polícia Rodoviária Federal, Procon, Secretaria de Economia e Sesipe.

Reclamações

No entanto, tal decisão gerou descontentamento entre os servidores. A má ventilação do ambiente de trabalho, falta do resultado dos testes da covid-19 ao qual foram submetidos, além de colegas estarem infectados com o vírus são algumas das justificativas.

Na manhã desta terça-feira (09/06), a Associação dos Servidores e Empregados do Na Hora (Assosehora) e o Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Direta, Autarquias, Fundações e Tribunal de Contas do Distrito Federal (Sindireta) divulgaram nota em que repudiam a decisão.

“Lembramos que todas as unidades do Na Hora funcionam em ambientes pequenos e mal ventilados, considerando-se a quantidade de órgãos que as ocupam e o grande número de usuários que frequentam esses espaços diariamente. Além disso, as instalações contam com poucos banheiros de uso coletivo, tanto aqueles exclusivos para os servidores como aqueles disponíveis para os cidadãos que buscam os serviços”, destacaram.

A conselheira Keka Bagno reclama da falta de máscaras, higienização das sedes e dos carros. “Na semana passada realizamos a testagem em massa, mas já se passou mais de uma semana e os resultados ainda não saíram. É uma série de fatores que faz com que a nossa categoria reivindique a volta ao trabalho”, revela.

Conselheira tutelar em Planaltina, Joana Darc é uma das infectadas pelo coronavírus. Em vídeo, ela relata a situação vivida com os companheiros de trabalho. Confira:

Ainda segundo Joana, uma eventual volta só deveria ocorrer após o retorno dos vigilantes, que foram retirados, e quando voltar o funcionamento do Cras e Creas, local onde fica localizado o conselho de Planaltina. Além da disponibilização dos meios básicos para prevenção, como: máscaras e álcool em gel.

O que diz a Sejus

A Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania (Sejus) afirma ter desenvolvido um Plano Estratégico de Retomada das Atividades do Na Hora. Isso inclui organização interna para que seja respeita a distância mínima entre as pessoas, como marcações no chão, barreiras de acrílico e assentos intercalados, além do uso de termômetro, álcool em gel e entrada controlada por agendamento prévio. “Este trabalho tem como objetivo apresentar a operacionalização para que o Na Hora possa retomar suas atividades gradualmente, garantindo segurança ao cidadão e aos seus colaboradores”, afirma a pasta em nota.

Sobre os conselhos tutelares, a Sejus afirmou que os mesmos cuidados foram tomados, com horário e equipes reduzidas, e que houve distribuição de EPIs, como máscaras de pano (reutilizáveis) e face shields. “Os servidores que estiverem em grupos de risco, continuarão em teletrabalho. Os servidores testados positivos antes da abertura dos Conselhos Tutelares, foram afastados por determinação médica e permanecem em quarentena”, avisa o comunicado da pasta. E confirma que a secretária Marcela Passamani recebeu representantes da categoria nesta terça.

Últimas notícias