metropoles.com

Como 22 mil famílias com renda zero enfrentam o coronavírus no DF

A maioria vive em Ceilândia, Taguatinga e Estrutural. Essas pessoas só não passam fome graças a programas sociais e doações

atualizado

Compartilhar notícia

Hugo Barreto/Metrópoles
Dona de casa na cozinha
1 de 1 Dona de casa na cozinha - Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Muito antes do novo coronavírus, a pobreza extrema já castigava 22.850 famílias do Distrito Federal, cuja renda mensal não chega a um centavo. E a maioria só não passa fome porque sobrevive de doação ou programas sociais, como o Bolsa Família.

O levantamento integra o Cadastro Único da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). A maior parte dessas famílias reside em Ceilândia: 3.543. Na sequência, aparece Taguatinga, que abriga 2.023.

O terceiro posto desse amargo ranking é ocupado pela Estrutural, onde moram 1.803 famílias que enfrentam a miséria.

Ainda de acordo com o Cadastro Único, há ainda 77 mil famílias no DF sobrevivendo com renda de até R$ 89 por mês. Novamente, programas de assistência social e a caridade são a salvação desses lares.

A chegada da pandemia impediu a volta de Maria Rosalia, 44 anos, para o mercado de trabalho. A doença interrompeu o curso de capacitação profissional da moradora da favela de Santa Luzia, na Estrutural.

Dona de casa na cozinha
Saudade: Maria Rosalia não pode comemorar o aniversário junto com a irmã gêmea durante a pandemia

Mãe de quatro filhos, ela vive em um barraco com o companheiro. O Bolsa Família chega todo mês, mas não é suficiente para pagar as contas.

A Covid-19 a obrigou a deixar de ver os parentes, inclusive a irmã gêmea, Maria do Rosário. E no aniversário deste ano, para preservar a saúde, não se abraçaram. A saudade maltratou o coração.

Cada dia é uma luta

Para a dona Vivaldina Rosa Teixeira, 55, (foto em destaque) cada dia é uma nova batalha. Praticamente todo o dinheiro que consegue é investido nos cuidados do filho especial, um rapaz de 18 anos.

O companheiro faz bicos, porém, com a pandemia, o dinheiro restou ainda mais minguado. “Tudo ficou muito pior após a Covid-19”, lamentou a moradora de Santa Luzia.

0

Nascida em Lavras (MG), ela tem problemas de saúde desde a infância e nunca teve chance de trabalhar. O maior desejo da dona de casa é ter uma vida justa e mais confortável, principalmente sem o assombro da fome.

Necessidade

O medo de faltar comida no prato dos filhos tira o sono do pintor Sebastião Oliveira, 56. Morador do Sol Nascente, ele diz que o último serviço que conseguiu fazer foi há dois meses. “Ninguém chama para mais nada. Bate um desespero, porque tem conta para pagar e comida para comprar”, desabafa o pai de quatro filhos.

Segundo o pintor, a família só não tem passado fome graças a iniciativas de organizações não governamentais (ONGs) que distribuem alimentos na região considerada a segunda maior favela do Brasil. “Se não fosse a solidariedade das pessoas, tem dia que não teríamos um pão para comer”, lamenta.

Socorro de emergência

Muitas dessas famílias têm recorrido a auxílios de emergência oferecidos pelo Poder Público. Um deles, do governo federal, apelidado de “coronavaucher”, paga R$ 600 a trabalhadores informais e desempregados.

Já o Governo do DF (GDF) lançou dois programas: o Renda Emergencial e o Cartão Parto Cheio. O primeiro dá R$ 408 para quem não estiver inscrito em outro programa social; já o segundo oferece benefício de R$ 160 (cesta básica) e R$ 90 (pão e leite), totalizando R$ 250, com uso restrito em estabelecimentos alimentícios.

Segundo a Sedes, aproximadamente 11 mil famílias pobres foram contempladas até o momento.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações