Com fechamento da Ford no Brasil, concessionárias do DF vão manter assistência e importar carros

SUV's e picapes produzidos na Argentina devem ganhar mais espaço no território nacional

atualizado 14/01/2021 7:39

Igo Estrela/Metrópoles

O fechamento das fábricas brasileiras da Ford pegou muitos donos de carro da marca de surpresa. Veículos como o Ka e Ecosport não serão mais produzidos, mas a montadora garante a continuidade de toda a assistência técnica aos automóveis.

O aposentado Carlos Henrique Souto, 57 anos, dono de dois carros da Ford – uma Ranger 2017 e uma Saveiro -, ficou preocupado com a notícia. Ele tem dúvidas quanto ao processo de manutenção. “A gente fica preocupado de como será daqui para frente com essa mudança”, frisa.

Lucas Oliveira, 23, dono de um Ka 2016, também demonstra aflição. Por já saber que o modelo sairá de linha, ele imagina a dificuldade que enfrentará para revender o veículo no futuro. “Hoje, não penso em vender, mas lá na frente pode atrapalhar”, comenta.

0

A diretora administrativa da Smaff Ford do Setor Terminal Norte, Fernanda Machado Farah, diz, no entanto, não haver motivo para grandes preocupações. “A parte de assistência, por exemplo, continua igual. Existe todo um planejamento para avaliar a vida útil de um carro e ver até quando uma peça continuará a ser produzida”, explica.

No caso dos veículos que continuarão disponíveis, como a Ranger, a diretora destaca que a fábrica argentina dará conta da demanda. “Aqui no Brasil não faziam essas peças, e sempre conseguimos fazer o atendimento normalmente. Portanto, prosseguirá da mesma forma”, destaca. Por esses motivos, a gestora não acredita em desvalorização dos automóveis da Ford.

0

 

A mudança drástica faz parte de um novo posicionamento da Ford no mercado. “Os carros serão mais ‘premium’. O foco será voltado aos SUV’s e a ícones da marca, como o Mustang. A tendência, inclusive, é que mais modelos que não vinham para o Brasil passem a chegar, como os elétricos”, pontua Fernanda.

0

O gerente de serviços da concessionária, Valtercides Rafael de Almeida, conta que outros modelos já deixaram de existir no passado e, mesmo assim, o mercado de peças sempre conseguiu atender a demanda. “Fornecimento das peças sempre foi normal. A Ford tem a preocupação de atender bem o cliente dela, que é bem fiel”, salienta.

Valtercides conta que esse reposicionamento da marca também acarretará em ajustes no atendimento do estabelecimento. “Vamos precisar de uma readequação, por exemplo, nos nossos técnicos de carros. Como a qualidade dos veículos vai aumentar, vamos precisar de muitos especialistas de alto nível”, explica.

0
Produtos diferenciados

A Brasal Veículos, que também vende carros da Ford no DF, informou, em nota, que a parceria entre as marcas continuará, “sendo que agora com um novo modelo, pautado na oferta de produtos diferenciados”.

A concessionária disse ainda que “todos os serviços relacionados à garantia dos veículos Ford e assistência técnica permanecerão sendo realizados sem qualquer alteração”.

Já a Slaviero, ressaltou, nas redes sociais, que “continuará com seu comprometimento prestando um serviço com qualidade e atenção para nossos clientes”.

O fechamento

Na segunda (11/1), a montadora norte-americana anunciou que vai encerrar a produção de carros no Brasil após 67 anos de atuação no país.

Com o fechamento de fábricas da Ford em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE), 5 mil funcionários serão demitidos. A Ford também afirmou que incluirá novos veículos ao portfólio para atender os brasileiros. Os carros serão produzidos na Argentina, no Uruguai e em outros países.

Últimas notícias