Com casos de Covid, mais uma escola pública suspende aulas presenciais no DF

Colégio tem três casos confirmados e sete suspeitos de infecção pelo novo coronavírus

atualizado 21/09/2021 6:18

Escola Técnica de CeilândiaReprodução / Redes sociais

Mais um colégio público suspendeu atividades presenciais no Distrito Federal. Após testes positivos e suspeitas de infecção por Covid-19 entre 10 alunos e professores, a Escola Técnica de Ceilândia fechou as salas de aula. Enquanto o prédio passar por desinfecção, as turmas retomarão o modelo remoto, on-line.

Segundo o diretor Joubert Almada, a escola pública tem casos confirmados de uma professora e dois estudantes. Mas existem três educadores com sintomas aguardando testes e outros dois ainda sem exames. E ainda dois educandos têm sinais, mas ainda não testaram.

A escola tem 2.074 estudantes matriculados, divididos entre os turnos matutino, vespertino e noturno. São jovens, adultos e idosos. Desde a volta das aulas presenciais, parte não regressou. “Estamos fazendo a busca ativa. As aulas presenciais são importantes para as classes com oficinas, por exemplo”, comentou o diretor.

“Estamos suspendendo as aulas por prudência”, acrescentou. A escola interrompeu as atividades presenciais nesta terça-feira (21/9). Passará por desinfecção e limpeza. A princípio, as turmas voltarão para sala de aula somente na segunda-feira (27/9).

Surto

Do ponto de vista do professor de programação de computadores do curso técnico de Informática Tadeu Freire Pontes, a situação da escola se aproxima de surto de Covid-19. Segundo o educador, há relatos de estudantes com sintomas presentes em diversas turmas nos últimos dias. “A situação é de surto”, resumiu.

Na avaliação de Pontes, o regresso das aulas presenciais para adultos foi precipitado. Segundo o professor, determinadas disciplinas poderiam permanecer remotas. Neste contexto, ressaltou que a Universidade Brasília (UnB) ainda mantém o modelo a distância.

“No ensino presencial nós estamos com poucos estudantes. Eu tive oito alunos em um horário e três no outro. Enquanto dava aula virtual com 20 alunos em uma turma de 25. Tem colega que tem um aluno na sala. Tem colega que não vai nenhum. Então, piorou a situação. Com o presencial, os alunos não querem ir”, argumentou.

Protocolos frágeis

Pela perspectiva do diretor do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF) Samuel Fernandes, a direção da escola acertou em suspender as aulas presenciais. Por outro lado, o dirigente considera os protocolos sanitários adotados pela Secretaria de Educação frágeis.

“O ideal era suspender as aulas presenciais por 14 dias e testar todos na escola. Muitos podem ser assintomáticos e transmitir o vírus”, alertou.

Pelo levantamento do Sinpro, desde a volta das aulas presenciais, 107 escolas tiveram pelo menos um registro de infecção por Covid-19.

Veja lista:

1 – Jardim Infância 308 Sul
2 – CEI 416 Santa Maria
3 – CEI 08 Taguatinga
4 – CEI 307 de Samambaia
5 – EC 102 Sul Plano Piloto
6 – CED 02 RF 1
7 – EC 415 Samambaia
8 – EC 100 Santa Maria
9 – EC 03 do Gama
10 – EC 55 de Taguatinga
11 – EC 121 Samambaia
12 – CAIC UNESCO São Sebastião
13 – CAIC Walter José de Moura de Taguatinga
14 – CAIC Bernardo Sayão Ceilândia
15 – CAIC Paranoá
16 – Escola Classe 305 Sul
17 –  CAIC de Sobradinho II 
18 – CEI 04 de Taguatinga
19 – JI 108 Sul
20 – CEI Galvão
21 – EC 13 de Ceilândia
22 – CED Myrian Ervilha Recanto da emas
23 – CAIC Helena Reis
24 – CED AGROURBANO
25 – EC 38 Ceilândia
26 – CEF 507 DE Samambaia
27 – EP 308 Sul
28 – CEF 312 de Samambaia
29 – EC RCG do Plano Piloto
30 – EC 410 de Samambaia
31 – CED São Bartolomeu de São Sebastião
32 – EC 218 Santa Maria
33 – CEF 214 Sul
34 – CEF 102 Norte
35- CED Vargem Bonita
36 – EC 115 Norte
37 – CEF 410 Norte
38 – EC 203 Santa Maria
39 – CEMUB – Centro de Ensino Médio Urso Branco
40 –  CED Queima Lençol de Sobradinho
41 – CEF 206 Recanto das Emas
42 – CEF 08 Guará
43 – CED 01 RF 2
44 – CEF 14 Ceilândia
45 – CEMI Gama
46 – EC 43 Ceilândia
47 – EC 08 Guará
48 – Colégio da Polícia Militar CED 01 da Estrutural 
49 – CEF 11 de Taguatinga
50 – CEAN
51 – CEMAB
52- CILG Guará
53 – E. C 01 de Brazlândia 
54 – CEM 414 de Samambaia
55 – EC 510 Recanto das Emas
56 – EC 304 Norte
57 – CAIC Assis Chatreaubriand de Planaltina
58- CEF 16 de Taguatinga
59- EC 405 Norte
60- CEMJK – Candangolândia
61 – CEIC – Candangolândia
62- CEMEIT
63- Centrão Taguatinga
64 – EC 65 de Ceilândia
65 –  Ced 02 RF 1
66 – EC 39 Taguatinga
67 – CEI 09 Taguatinga
68 – EC 303 São Sebastião.
69 – CEM  01 Sobradinho
70 –  CEM 111 do Recanto das Emas
71 – EC 12 Gama
72 – EC 59 de Ceilândia
73 – EC 47 de Ceilândia
74 – E C 04 Paranoá
75 – EC 01 Gama
76 – CEFAB
77- CEM 01 Guará
78 – EC O7 Guará
79 – CED 11 Ceilândia
80 – CEF Zilda Arns Paranoá
81 – CEE 01 Taguatinga
82 – CED 07 Ceilândia
83 –   CEM 804 Recanto das Emas
84 – CEF 05 Guará
85 – CED 2 de Brazlândia
86 – CASEB
87 – CEF 10 Gama
88 –  CEM 804 Recanto das Emas
89 – EC 206 Sul
90 – CEF 120 Samambaia
91 – EC 403 Norte
92 – EC 27 Taguatinga
93  – CEF 34 Ceilândia
94 – CED Stella Planaltina
95 – CEI 02 Planaltina
96 – Escola Classe Porto Rico
97 – EC 10 Ceilândia
98 – CAIC Paranoá
99 – CAP Paranoá
100 – EC 4 Paranoá
101 – CIL Paranoá
102 – CEF 13 Ceilândia
103 – CEF 01 Paranoá
104 – Gisno
105 – CEF 04 Guará
106 – EC 06 Guará
107 – Escola Técnica Ceilândia

Outro lado

O Metrópoles entrou em contato com a Secretaria de Educação sobre o caso. A pasta negou a classificação da situação como um surto. E garantiu ter tomado as devidas providências. A reportagem perguntou sobre o número total de alunos e professores infectados, bem como a quantidade de escolas com atividades suspensas. Não houve resposta.

Leia a nota completa da pasta:

“Não há suspeita de surto. Tivemos casos confirmados de um professor e dois estudantes. Os casos não se relacionam. Todas as medidas estão sendo tomadas. Nesta terça-feira, 21/9, a escola vai ser sanitizada e na quarta-feira, 22/9, será realizada a limpeza. A escola planeja retomar as aulas presenciais na segunda-feira”.

 

 

Últimas notícias