*
 

A data de lançamento do 1º Datathon Desafio de Dados sobre Saúde Pública do Brasil foi alterada para 14 de junho. A inauguração estava prevista para o próximo dia 6. Porém, por causa da greve dos caminhoneiros, a organização do evento mudou o cronograma. O lançamento, agora, vai ocorrer durante a abertura do período de inscrições. O local e a hora estão mantidos: auditório do Parque Tecnológico de Brasília (Biotic), às 17h.

Especialistas em tecnologia, analistas, estudantes e qualquer pessoa interessada no tema, em todo o país, poderão participar gratuitamente do 1º Datathon Desafio de Dados sobre Saúde Pública do Brasil. A competição consiste na análise de informações públicas com objetivo de produzir infográficos, insights e outras narrativas com base nos indicadores disponibilizadas pelo governo brasileiro.

A expectativa é de que os materiais produzidos pelos participantes ajudem na compreensão dos problemas relacionados à área de saúde do país.

Os interessados poderão se inscrever pela internet, em página que será lançada nos próximos dias. O número de vagas será restrito a 500. É possível candidatar-se individualmente ou em equipes de até três pessoas.

Datathon (do inglês, junção de “dados” e “maratona”) é o nome técnico do concurso de análises de informações abertas e tem se popularizado em todo o mundo. A modalidade se distingue de um hackathon – evento sediado em local específico e com prazo reduzido para realização – e ocorre on-line, por período mais longo e com participantes em diferentes países.

Inovação
A iniciativa nasceu da necessidade de aproximar desenvolvedores e profissionais de análise de dados das questões nacionais mais relevantes. Entre elas, a saúde. A área tem o maior investimento do país, em comparação a outras rubricas orçamentárias.

“Queremos promover debate qualificado para melhorar e ampliar o entendimento sobre saúde pública no Brasil, a partir dos insights feitos pelos competidores do desafio. O datathon pretende fomentar análises propositivas, que podem apresentar potenciais tendências, identificar comportamentos e contextualizar dados da área de saúde, auxiliando na construção de políticas públicas”, explica Gustavo Guimarães, presidente da Qubo Tecnologia, empresa responsável pela realização do Desafio de Dados.

Para Claudia Taya, secretária de Transparência e Prevenção da Corrupção da Controladoria-Geral da União (CGU) – uma das instituições apoiadoras, o datathon oferece avanços. “Vemos com bons olhos essa iniciativa, pois, quando você permite que o cidadão utilize as bases públicas para fazer um estudo mais aprofundado, isso contribui para os nossos gestores públicos, que podem ter acesso a análises inovadoras em relação à própria política pública”, avalia.

Dados abertos
A realização de um datathon só ocorre porque existem dados abertos, que podem ser acessados livremente por toda a população. É possível modificar e compartilhar essas informações para qualquer finalidade e elas estão sujeitas a exigências que visam preservar sua proveniência e abertura.

Os participantes do datathon poderão utilizar dados do Ministério da Saúde; Portal de Convênios (Siconv) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese); Portal da Transparência; da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); e de outras fontes que puderem ajudar a contextualizar informações da saúde pública.

Há critérios para um dado ser considerado aberto: se não pode ser encontrado e indexado na internet, não se encaixa; se não estiver disponível em formato compreensível por máquina, não pode ser reaproveitado; e, se algum dispositivo legal não permitir sua replicação, é inútil.

O Decreto nº 8.777/2016 estabelece o Plano de Dados Abertos – documento orientador para as ações de implementação e promoção de abertura de indicadores de cada órgão ou entidade da administração pública federal, obedecidos os padrões mínimos de qualidade –, de forma a facilitar o entendimento e a reutilização das informações.

“Os dados abertos estão entre os avanços mais recentes nas políticas de transparência. Com eles, o cidadão pode auxiliar o poder público na construção de políticas públicas e no controle social, acompanhando a aplicação do recurso público”, explica a secretária da CGU.

1º Datathon – Desafios de Dados da Saúde Pública do Brasil
Lançamento: 14 de junho, às 17h, no auditório do Biotic
Inscrições gratuitas, a partir de 14 de junho
Realização: Qubo Tecnologia
Patrocinadores: Qubo Tecnologia, Tableau Software, Federação das Indústrias do Distrito
Federal (Fibra)
Apoio Institucional: Ministério da Saúde (Demas/Sage e Deciis/SCTIE), Controladoria-Geral da União (CGU) e Secretaria de Economia, Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia do Distrito Federal (Secti-DF)

 

 

COMENTE

saúde públicagreve dos caminhoneiros1º Datathon Desafio de Dados da Saúde Pública do BrasilQubo Tecnologia
comunicar erro à redação

Leia mais: Ciência