metropoles.com

Câncer avança e sambista brasiliense Marcelo Sena pede ajuda em tratamento

Vocalista de uma das principais bandas de samba do DF, Marcelo Sena luta contra a doença desde 2018 e está internado no Hospital de Base

atualizado

Compartilhar notícia

Gustavo Moreno/Especial Metrópoles
Marcelo Sena - Metrópoles
1 de 1 Marcelo Sena - Metrópoles - Foto: Gustavo Moreno/Especial Metrópoles

Uma corrente solidaria ajudou o sambista Marcelo Sena a enfrentar o câncer em 2021. Mas após meses de alívio, a doença voltou mais agressiva. Novamente parentes e amigos do vocalista da Banda Coisa Nova organizaram um novo movimento em busca de apoio.

Sena luta contra um câncer de próstata com metástases nos ossos desde o final de 2018. Em 2021, tinha 50 pontos da doença pelo corpo, mas com o tratamento, o número caiu para 12. Após o momento de alívio, no entanto, o músico contou o novo drama pelas redes sociais: exames de imagens mostraram uma metástase mais agressiva que causa muita dor nas costas e no pescoço.

“Só que essas dores amigo, vem aumentando. Elas têm altos e baixos”, disse o músico, antes do agravamento da doença. Em algumas momentos, não conseguia dormir ou respirar em paz. Enquanto tinha forças, buscava manter a agenda de shows. O artista enfrentou momentos de desespero, mas com o apoio da família seguiu e segue em frente.

Veja o vídeo:

Os remédios começaram a perder o efeito. Na quinta-feira (22/12), o músico ficou muito debilitado e foi internado no Hospital de Base. Segundo a esposa de Marcelo, a professora de dança Nivea Costa de Medeiros, ele precisou de morfina para aplacar as dores e passou por uma tomografia.

Além da metástase, os médicos identificaram uma hérnia de disco e indícios de uma lesão no reto. A equipe de atendimento recomendou uma ressonância para o diagnóstico mais preciso. Mas não havia previsão para o serviço na rede pública. Amigos fizeram uma vaquinha para pagar pelo exame em uma clínica privada e o exame foi realizado nesta terça-feira (27/12).

Sequelas

O resultado será conhecido em 2 de janeiro. A partir daí os médicos saberão qual será a linha de tratamento completa. “Marcelo perdeu muito peso desde a radioterapia. Vem sentindo muitas dores. As sequelas da radioterapia foram muito fortes”, desabafou Nivea.

Marcelo não tem expectativa de alta e há 1 mês não sobe aos palcos, trabalho que o sustenta. Nivea também precisou ficar sem trabalhar para apoiar o marido. Segundo a professora, a maior parte do público e dos colegas de profissão estão solidários, mas infelizmente uma minoria critica o cantor, mesmo com a doença.

“Falta compreensão para algumas pessoas. Ninguém gosta de estar em um hospital, muito menos em um centro oncológico. É preciso ter amor ao próximo”, disse. Segundo a terapeuta Mônica Cardoso, amiga do músico, Marcelo vai precisar ter acesso rápido ao tratamento porque a demora permite a progressão da doença.

“Eu sei do desgaste. Mas esse é o momento em que a gente não pode perder o embalo. A gente precisa se unir. Porque nesse momento ele continua precisando de ajuda”, afirmou.

Como ajudar:

Quem quiser ajudar pode enviar contribuições para as chaves Pix: 775.634.941-91 (CPF), no nome de Nívea Costa de Medeiros, ou niveamedeiros7@hotmail.com.

Inicialmente amigos iniciaram uma vakinha, que bateu rapidamente as metas estabelecidas, e agora as doações podem ser enviadas diretamente à conta da esposa do artista, pelos dados acima.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?