*
 

Brasília sedia o 2º Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros (Enajun), promovido pela Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (Amagis-DF) e pela Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris). A cerimônia de abertura do evento foi realizada no auditório do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), na noite dessa quinta-feira (8/11).

Entre as autoridades presentes, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Em seu discurso, o ministro destacou a participação tímida dos negros no Judiciário. Segundo ele, o percentual de magistrados negros que respondeu ao censo de 2013 foi de 1,4%, passando a 1,6%, em 2018.

Quanto às magistradas negras, esse número ficou em 1,5% no censo de 2013 e 1,6%, em 2018.“É uma grande satisfação participar da abertura deste evento que descortina tema tão importante à construção de uma sociedade democrática como a nossa e que muito supera a tão-só composição racial e de gênero dos quadros da magistratura nacional”, acrescentou.

O presidente da Amagis-DF, Fábio Esteves, defendeu que o Judiciário deve ser mais plural e espelhar a realidade da sociedade brasileira, sendo importante a atuação do poder (Judiciário) e de seus integrantes para que esse objetivo seja alcançado. “É absurdo escutar alguém falar que nunca viu um juiz negro, apesar de a metade da população brasileira ser negra”, pontuou.

Com informação das Associação dos Magistrados Brasileiros