Aulas são suspensas em creche do DF após monitora testar positivo para Covid

Atividades na creche Raposa do Cerrado, em Samambaia, estão suspensas por 14 dias, como parte de protocolo. Aulas seguem de modo remoto

atualizado 23/07/2021 23:04

Hugo Barreto/Metrópoles

A creche Raposa do Cerrado, em Samambaia, suspendeu as aulas de um turma da unidade por 14 dias, contados a partir de 20 de julho, depois que uma monitora testou positivo para a Covid-19. Segundo a Secretaria de Educação, a interrupção das atividades é um dos protocolos de prevenção à  propagação do vírus.

Durante o período de suspensão das aulas presenciais, as atividades seguirão de forma remota, informou a pasta (veja abaixo a resposta da secretaria).

Com o retorno das atividades presenciais nas creches do DF, a pasta criou um guia de orientações.

O documento aborda questões como: distanciamento; necessidade de uso de máscaras para crianças a partir de 3 anos; troca de máscara a cada três horas; verificação da temperatura; organização na entrada e nos horários das refeições, para evitar aglomerações; disponibilidade de produtos de higienização em todos os ambientes; e a necessidade de não compartilhamento dos brinquedos.

Há ainda temas mais sensíveis – entre eles, o contato físico. A orientação é não reprimir gestos de contato, como o abraço, e sim sugerir brincadeiras de abraço de faz-de-conta. Também é necessário explicar às crianças, de forma simples e carinhosa, os motivos pelos quais se deve respeitar o distanciamento.

Veja fotos da volta às atividades presenciais nas creches:

0

O guia aponta a importância de família e instituição trabalharem juntas, para proporcionar conforto emocional e bem-estar aos pequenos. As unidades de ensino estão orientadas a ter canais de comunicação com pais, mães e responsáveis legais, para que evitem aglomeração.

Se a criança apresentar sintomas de gripe ou resfriado, como febre e mal-estar, ou de Covid-19, permanecerá com atividades remotas. A família deverá procurar uma unidade de saúde e comunicar a escola. Caso os sintomas na criança sejam detectados na instituição educacional parceira, ela deverá ser isolada das demais, e a família deverá ser avisada e orientada a buscar atendimento médico.

Da mesma forma, profissionais de educação que apresentarem sintomas deverão permanecer em trabalho não presencial e ir a uma unidade de saúde. As crianças e demais pessoas que tiveram contato com outras com suspeita de Covid-19 deverão ser monitoradas.

Veja o que disse a Secretaria de Educação:

“A Secretaria de Educação informa que uma turma do CEPI Raposa do Cerrado, em Samambaia, teve o atendimento presencial suspenso por 14 dias, a contar de 20/7, em razão de uma monitora ter testado positivo para covid-19. O procedimento faz parte do protocolo de segurança sanitária. O atendimento à turma, nesse período, segue de forma remota.”

Últimas notícias