Aprovados no concurso da PMDF de 2018 protestam pelo início da formação

Grupo se reuniu na frente do Palácio do Buriti cobrando do governo a autorização para início do curso de formação da corporação

atualizado 10/09/2020 11:15

aprovados em concursoMichael Melo/ Metrópoes

Aproximadamente 160 aprovados no concurso da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) se reuniram em frente ao Palácio do Buriti, na manhã desta quinta-feira (10/9), para cobrar a convocação ao curso de formação da corporação.

O certame foi realizado em 2018 e os aprovados já haviam sido convocados em março, porém a pandemia do novo coronavírus fez com que o GDF suspendesse, entre outras coisas, a continuidade da seleção.

“Nós fomos convocados novamente no mês de julho”, conta Fernando Cardoso, um dos organizadores do protesto e aprovado no concurso há 2 anos.

Vários colegas de outros estados já fixaram residência aqui no DF, aguardando o início do curso

Fernando Cardoso, organizador e aprovado no concurso em 2018

“Houve uma redução na turma para que pudesse cumprir as medidas de distanciamento dentro do curso”, revela Cardoso. De acordo com os manifestantes, a documentação foi entregue no fim de julho, com a previsão de início do curso para o final de agosto, o que não foi confirmado.

0

“Vários colegas de outros estados já fixaram residência aqui no DF, aguardando o início do curso”, conta o organizador. Preocupados com os investimentos feitos e entendendo que a pandemia dá sinais de recuo, o grupo pede para que uma nova data seja estipulada pelo governo para que a turma inicie sua formação.

Esta não foi a primeira vez que aprovados no concurso manifestaram a favor da convocação para o curso de formação. Em julho, aproximadamente 200 pessoas se reuniram também frente ao Palácio do Buriti para cobrar nomeação. Na ocasião, havia também postulantes a militares do Corpo de Bombeiros do DF. Ao todo, 355 candidatos dos bombeiros e 726 selecionados no certame da PMDF cobram a convocação para o curso de formação das corporações.

De acordo com os organizadores do protesto à época, 700 aprovados da PM, na seleção que ocorreu em 2018, foram convocados. Porém, segundo eles, mais de 2 mil vagas foram anunciadas no edital.

Agora, os aprovados pedem o chamamento de mais 726, como estava previsto no cronograma inicial, com duas novas turmas no curso de formação para 2020, uma no início de cada semestre. A primeira leva chegou a ser convocada, mas o chamamento foi suspenso, em março, devido à pandemia de coronavírus.

No caso dos aprovados no concurso para o CBMDF, os postulantes a militares alegam que estão desde 2017 em espera. Cerca de 1.000 já iniciaram o curso em três turmas diferentes, e agora os aprovados exigem que o GDF autorize a convocação de mais 355.

Também por conta da Covid-19, a suspensão aconteceu dois dias antes da data prevista para a entrega da documentação, em 29 de maio. “Eu larguei meu emprego após mais de 10 anos para apresentar as documentações, já que não pode ter vínculo empregatício”, disse, ao Metrópoles, a fisioterapeuta Nayany Ferreira, de 31 anos, uma das organizadoras do protesto em 2 de julho.

Os manifestantes argumentam que as corporações estão preparadas para ministrar os cursos, tanto financeiramente, com as verbas já alocadas, quanto para a estrutura exigida por conta da pandemia.

Últimas notícias