Após perder filho para a depressão, pai faz desabafo emocionante

Para evitar que novas vidas sejam perdidas, ele gravou áudio: "Eu peço a vocês que me ajudem a salvar novas vidas, que passem essa gravação"

Reprodução / FacebookReprodução / Facebook

atualizado 04/01/2020 16:07

Avesso às redes sociais, um pai resolveu recorrer às plataformas para desabafar após a família tomar conhecimento da morte do filho, de apenas 24 anos, poucas horas depois da virada do ano para 2020. Sem se identificar, o pai decidiu gravar um áudio em WhatsApp para compartilhar com outros pais a dor de perder um filho para a depressão.

O modelo Luan Sant Cleer Nunes (foto em destaque) foi encontrado morto no dia 2 de janeiro de 2020 e enterrado no dia seguinte, no cemitério do Gama (DF).

“Eu não tenho Facebook, Instagram, não tenho Hotmail, nunca usei redes sociais para nada, mas estou aqui pedindo para vocês que usem estas redes para o bem. Escutem seus filhos, ouçam seus filhos, cuidem de seus filhos, não percam seus filhos para essa tal de depressão. Ela é uma maldição, ela é silenciosa, é invisível, a gente acha que ela não existe, que é frescura… Que não é uma coisa verdadeira”, disse, com as palavras misturadas ao choro embargado.

Vencedor de concursos de beleza, o jovem era bastante conhecido nas redes sociais, mantinha inúmeros amigos na vida real e, mesmo assim, não revelou as dificuldades para pessoas próximas, incluindo familiares.

“Estou aqui para pedir uma coisa para vocês: cuidado com seus filhos, ame seus filhos, lutem pelos seus filhos. Vamos fazer uma corrente do bem para que você não perca seus filhos para essa maldição. Eu peço a vocês que me ajudem a salvar novas vidas, que passem essa gravação para o maior número de pessoas que puderem”, solicitou o pai.

“E olhem para seus filhos e cuidem deles, que estão do seu lado pedindo socorro e a gente não escuta, porque a gente não vê. A gente não sabe os sintomas”, continuou ele em mensagem viralizada nas redes sociais.

Ouça o desabafo:  

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias