Após dois arrombamentos, Igrejinha da 308 Sul agora tem segurança à noite

Reportagem do Metrópoles constatou que um profissional assumiu a proteção noturna do templo. Estrutura danificada passa por conserto

atualizado 17/11/2020 12:56

Igrejinha de Brasília sendo vigiada por segurança contratada pelo párocos 9Igo Estrela/Metrópoles

Depois de sofrer dois arrombamentos, com menos de 22 dias de diferença entre as ocorrências, agora a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, na 308 Sul, conta com segurança no período da noite. Um profissional faz rondas pelas imediações do templo católico e fica de olho em quem passa pelo local. A estrutura danificada pelos invasores também começou a ser reparada.

Em ambos os episódios, bandidos invadiram o prédio de madrugada, reviraram o lugar e fugiram com bens da igreja e dinheiro de oferta dos fiéis. Um cofre chegou a ser retirado do local e foi localizado nessa segunda-feira (15/11) por investigadores da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), que apuram os crimes. Arrombado e completamente vazio, o equipamento foi achado em uma área verde da 707 Sul.

Confira imagens do templo, agora vigiado durante a noite: 

0

No último dia 13, a Polícia Civil prendeu em flagrante um morador de rua acusado de participar da última invasão à Igrejinha. As digitais do suspeito foram encontradas na cena do crime, e, no momento da prisão, ele estava com um corte na mão. Nessa ocasião, em 21 de outubro, os bandidos escaparam levando o cofre das ofertas. Na segunda investida, no dia 12 de novembro, carregaram um computador usado pela secretária do local.

Segurança noite e dia

Os recentes episódios de insegurança preocupam integrantes da Igreja Católica, funcionários do templo e fiéis. Maria Stela Domingues de Mendonça, 65 anos, acompanhou apreensiva as notícias sobre os arrombamentos. “Ficamos muito assustados ao chegar aqui na quinta-feira (12/11), para a missa das 6h30, e ver a porta estourada, tudo espatifado lá dentro, a imagem de Nossa Senhora estava virada em cima do móvel”, descreveu.

Maria Stela frequenta a Igrejinha desde 2015, sempre que está em Brasília. Nessa segunda-feira (16/11), retornava da missa na Igreja São Camilo, na vizinhança, e decidiu passar no templo em honra de Nossa Senhora para fazer uma oração.

“É preciso ter bastante segurança, noite e dia. A Igrejinha foi fundada bem antes de Brasília, em 1958. [Ela] É um ponto de referência para Brasília e precisa ser muito valorizada. É uma pena ter um patrimônio histórico nessas condições, mas às vezes é necessário [repará-lo]. O teto da igreja é frágil”, disse ao Metrópoles, referindo-se à insegurança da estrutura, que, após as invasões, passa por conserto.

No local, além de conferir o andamento das obras, a reportagem constatou na noite dessa segunda que um segurança passou a fazer a ronda noturna ao redor do prédio – uma novidade pós-furtos.

0

Moradores de rua

“O padre daqui, frei Reinaldo, pede muito para a comunidade e as autoridades cuidarem dos moradores de rua em frente à igreja”, completou Maria Estela, lamentando que uma dessas pessoas tenha participado do arrombamento ao local.

O cofre encontrado pela PCDF será alvo de perícia do Instituto de Criminalística (IC) para tentar identificar algum vestígio que leve à identificação do outro suspeito.

“Desde o início o crime, tínhamos como suspeitos moradores de rua que ficam circulando pela região. Realmente um deles foi identificado como autor e está preso preventivamente. O segundo, também morador de rua, está sendo procurado”, disse o delegado-chefe da 1ª DP, Marcelo Portela.

Veja imagens da ação dos bandidos e da reforma que é realizada:

Últimas notícias