Após blitzes do Detran, motoboys fazem protesto em Águas Claras

Entregadores reivindicam legislação específica para a categoria a fim de garantir respeito e melhores condições de trabalho

Reprodução/Redes sociaisReprodução/Redes sociais

atualizado 14/01/2020 17:48

Aproximadamente 50 motociclistas que trabalham com entregas fizeram um protesto em defesa da categoria, no fim de tarde desta segunda-feira (13/01/2020), em Águas Claras. Os manifestantes interditaram faixas das principais avenidas da cidade e fizeram um buzinaço.

Um dos representantes de motoboys por aplicativo, Abel Rodrigues dos Santos disse ao Metrópoles que a manifestação tinha como objetivo reivindicar legislação específica para a categoria. “Queremos respeito e melhores condições de trabalho das empresas de aplicativo e dos clientes que usam o nosso serviço”, disse.

A carreata ocorreu após o Departamento de Trânsito (Detran) fazer uma série de fiscalizações nas motos pela região administrativa. O foco era a redução da poluição sonora provocada por escapamentos irregulares. Na ocasião, 15 motociclistas acabaram autuados por esse motivo.

Os agentes registraram, ainda, seis condutores pilotando sem habilitação, cinco com a permissão vencida e registraram outras 25 infrações por motivos diversos. Seis motos foram levadas ao depósito. As blitzes começaram na última quarta-feira (08/01/2020), quando foram abordados 110 motociclistas, e fazem parte da Operação Sossego.

Debate na internet

Nos grupos das redes sociais, o protesto gerou controvérsias entre os moradores de Águas Claras. “Só andam na contramão, na calçada, ciclovia, furam sinal e ainda fazem um barulho desgramado. Deviam respeitar os seus clientes”, reclamou um morador. “Quem comete mais infrações no trânsito somos nós, motoristas”, respondeu outro, partindo em defesa dos trabalhadores de delivery.

Alguns entregadores também entraram na discussão. Um deles explicou que o motivo para provocar o barulho dos escapamentos é conseguir alertar os motoristas da aproximação da moto. Outros alegaram que a medida é “necessária” pela falta de atenção no trânsito, principalmente pelo uso do celular ao volante.

“Ontem eu presenciei uma batida por causa disso. A falta de atenção é muito grande, principalmente por falta da seta e do retrovisor. Vou comprar uma câmera GoPro e filmar os motoristas e as placas”, disse um motoboy. Nas ruas, não houve registro de ocorrências relacionadas à manifestação. No entanto, um longo engarrafamento se intensificou nos locais por onde as motos passaram e o Detran precisou atuar na organização do trânsito.

Operação Sossego

De acordo com o diretor de Policiamento e Fiscalização de Trânsito, Francisco Saraiva, a operação tem o objetivo de reduzir a poluição sonora nas vias do Distrito Federal, além de promover mais segurança ao trânsito.

“A operação foi planejada para garantir que as motos circulem de forma segura, com os equipamentos adequados, observando a legislação de trânsito e sem trazer excesso de barulho aos moradores”, afirma Saraiva.

Colaborou Isadora Teixeira

Últimas notícias