Aplicação de vacinas da Covid-19 no Hospital do Gama precisa melhorar, diz MPDFT

O termo de autodeclaração é um dos pontos a serem observados no quadro do HRG ou de outras unidades de saúde

atualizado 25/01/2021 17:08

Prédio do Hospital Regional do Gama (HRG)IGO ESTRELA/METRÓPOLES

A força-tarefa do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), que acompanha as medidas de enfrentamento à pandemia no DF, fez vistoria nesta segunda-feira (25/1) no Hospital Regional do Gama (HRG). O local foi escolhido a partir de relatos de desrespeito às diretrizes definidas no Plano Distrital de Vacinação de Covid-19. Mais de 900 profissionais da área de saúde já foram vacinados na unidade. A previsão é que cerca de 1,2 mil trabalhadores ainda sejam imunizados neste hospital.

Durante a inspeção, o MPDFT obteve informações sobre os protocolos da vacinação no local, além de verificar a publicidade da lista de vacinação, o total de aplicações do imunizante e checar se o formulário de autodeclaração (no qual os vacinados declaram que fazem parte do grupo prioritário) tem sido preenchido corretamente. Durante o encontro, os integrantes do MPDFT também conversaram com os gestores do HRG e com os profissionais da saúde.

O coordenador da força-tarefa, procurador de Justiça José Eduardo Sabo, foi acompanhando da promotora de Justiça Lívia Rabelo, da Promotoria de Justiça Regionais de Defesa dos Direitos Difusos (Proreg), e destacou que a vacinação da atenção primária, que compreende os profissionais de saúde de outras unidades que recebem a aplicação da vacina no hospital, ainda precisa ser aprimorada.

Segundo ele, o termo de autodeclaração ainda deve ser aplicado em todos os vacinados no local, sejam eles do quadro do HRG ou de outras unidades de saúde. Na ocasião, a equipe que é responsável pela aplicação na rede primária se comprometeu a efetivar o termo.

Em relação ao plano de vacinação dos profissionais de saúde, os representantes do MPDFT ressaltaram que outros procedimentos, como a triagem e o preenchimento dos questionários com dados, tem ocorrido adequadamente, mas que o acompanhamento por parte do Ministério Público será constante a fim de garantir transparência e eficiência no processo de imunização da população do DF.

Mais lidas
Últimas notícias