Ampliação da Linha 1 do Metrô perde dinheiro para o Meio Ambiente

A construção de centros de triagem de recicláveis receberá quase R$ 3 milhões, antes destinados à expansão do trecho no DF

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 11/09/2019 17:21

O Diário Oficial do Distrito Federal traz, nesta quarta-feira (11/09/2019), modificações orçamentárias para o DF. São atividades corriqueiras ao longo do ano para adequar os créditos aos programas prioritários e às necessidades de cobertura de despesas.

O Metrô-DF perde créditos de R$ 2.865.179,00, previstos para a ampliação da linha 1. O dinheiro será repassado à Secretaria do Meio Ambiente, com o objetivo de construção de centros de triagem de materiais recicláveis.

O GDF também faz ajustes na administração de pessoal: a Secretaria de Segurança Pública recupera R$ 17 milhões para a folha de pagamento. A verba vem do Fundo de Saúde (R$ 10 milhões), da Polícia Civil (R$ 4 milhões) e da Polícia Militar (R$ 2,5 milhões).

O Buriti ganha reforço de caixa do Governo Federal, graças a emendas parlamentares individuais da bancada federal do DF. São R$ 23 milhões destinados ao Fundo de Saúde, que pretende utilizá-los para executar contratos de gestão.

Enfim, o DER-DF integra ao orçamento cerca de R$ 41 milhões recebidos em multas de trânsito. Serão utilizados para vários fins, particularmente policiamento e fiscalização de trânsito (R$ 18,45 milhões), manutenção de sinalização (R$ 7,7 milhões) e conservação de rodovias (R$ 6 milhões). Estão previstos R$ 500 mil para campanhas educativas. O artigo 320 do Código de Trânsito Brasileiro indica, em seu artigo 320, que a receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito será aplicada, exclusivamente, em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

Últimas notícias