Amigos sobre 1ª vítima do coronavírus no DF: “Doçura e gentileza”

Viviane Rocha morreu na segunda-feira (23/03), testou negativo para Covid-19, mas contraprova deu positivo. Confirmação veio neste domingo

Viviane Rocha de Luiz, primeira vítima do coronavírus no DFReprodução/Redes sociais

atualizado 29/03/2020 15:04

Diversos órgãos prestaram homenagem a Viviane Rocha de Luiz (foto em destaque), primeira paciente morta pelo novo coronavírus no Distrito Federal. Todos elogiavam muito a enfermeira de 61 anos, tanto como pessoa como pelo trabalho exercido por ela.

Vivi, como era conhecida, atuava como assessora técnica do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Todos a conheciam como uma estudiosa da área. Tinha especializações em saúde pública, administração de serviços de saúde e planejamento do setor saúde, entre outras.

O Grupo Temático de Vigilância Sanitária, do qual ela fazia parte, publicou nota mostrando consternação. “Viverá sempre em nossos corações e em nossa lembrança, pela alegria, companheirismo e crença num sistema de saúde inclusivo e equitativo. A ela nossa gratidão. A seus entes queridos nossa solidariedade nessa dor”, publicou.

O próprio Conass também falou do bom trabalho sempre feito por Viviane. “Sua alegria de viver, sempre cheia de planos, servia de motivação a todos que conviviam com ela. Sua enorme contribuição ao SUS, a forma habilidosa de lidar com diversos temas vão deixar lacunas difíceis de serem preenchidas”, divulgou, em nota.

Confira:

Nota do Conass sobre Viviane Rocha de Luiz, primeira vítima de coronavírus no DF
Nota do Conass sobre Viviane Rocha de Luiz, primeira vítima de coronavírus no DF

A confirmação

Segundo informações do Governo do Distrito Federal (GDF), Viviane entrou no Hran no domingo, dia 22 de março, com quadro de febre, desconforto respiratório e histórico de contato com paciente infectado pela Covid-19 que veio de São Paulo.

Ela tinha comorbidades, de acordo com boletim médico. Sofria de obesidade mórbida, hipertensão arterial sem tratamento e era ex-tabagista. O quadro evoluiu para parada cardiorrespiratória às 11h40 do dia 23 de março.

Viviane fez exame específico para a Covid-19, mas o primeiro resultado foi inconclusivo. Depois, a contraprova seguiu para o laboratório da Fiocruz. Neste domingo (29/03), houve a confirmação da doença.

Com a morte de Viviane, a Secretaria de Saúde anunciou novos números da doença na cidade. No início da tarde deste domingo (29/03), a quantidade de infectados pelo coronavírus chegou a 288 casos.

De acordo com o novo balanço, 134 infectados estão recuperados. Há 203 pacientes com infecções leves, em isolamento domiciliar, e 25 internados, sendo 12 em situação crítica. Outros 60 pacientes estão sendo investigados com suspeita da doença.

Últimas notícias