Além de construir túnel, Ibaneis promete revitalizar Hélio Prates

Durante assinatura da ordem de serviço para obra em Taguatinga, governador fala também sobre renovação na W3

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 14/01/2020 19:58

O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou, na tarde desta terça-feira (14/01/2020), a ordem de serviço para a construção do túnel de Taguatinga. A obra foi lançada na Praça do Relógio.

No primeiro evento público do chefe do Executivo local este ano, ele apontou para o abandono da região. “Taguatinga dá, agora, um passo no sentido de retomar a vocação de metrópole local”, afirmou, lembrando que a falta de atenção com a cidade fez com que ela tivesse problemas como o tráfico de drogas.

“Esse túnel tem realmente vida. Ele traz vida para mais de 1,5 milhão de pessoas”, afirmou. Ainda neste ano, o GDF lançará a obra na avenida Hélio Prates. Ibaneis destacou que seguirá com a revitalização em outros pontos do DF, a exemplo da W3. A construção de Taguatinga tem dois anos para ficar pronta.

“Brasília ficou muito tempo abandonada. Nas mãos de um bando de esquerdopatas. Ninguém sabe onde estão”, discursou.

Segundo o secretário de Governo, José Humberto,  Taguatinga é um dos motores da economia do DF. O gestor destacou que a obra trará transtornos inicialmente, mas os benefícios virão após a conclusão do projeto.

Empreendedores locais pediram atenção do GDF para a obras de melhoria e segurança na Facita, espaço para grandes eventos, festas, feiras e exposições na região.

A obra

O objetivo do túnel é diminuir os transtornos com o trânsito no centro da cidade. A obra que estava parada desde 2016 e só foi liberada pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) em dezembro do ano passado.

Quando concluído, o túnel terá 1.010 metros de extensão e contará com duas vias paralelas, cada uma com três pistas de rolagem em cada sentido. Ele fará uma ligação subterrânea para quem segue para Ceilândia, pela via Elmo Serejo, além de oferecer uma via alternativa pela superfície para o Centro de Taguatinga.

O objetivo é evitar a retenção de veículos nos semáforos do centro da cidade. Com a conclusão da obra, os carros que estiverem na Elmo Serejo, sentido Plano Piloto, vão mergulhar pelo túnel e sair na Estrada Parque Taguatinga (EPTG).

O investimento é de R$ 275 milhões, com recursos provenientes de financiamento firmado pelo GDF com a Caixa Econômica Federal. A execução está sob responsabilidade do consórcio Novo Túnel. A obra deve ser iniciada após o período das chuvas.

Transtornos

A circulação de carros e ônibus será afetada durante a execução da obra. Um trecho de quase 1,3 quilômetro, do viaduto da Elmo Serejo até o viaduto da EPTG com a EPCT, sentido Ceilândia-Plano Piloto, na Avenida Central de Taguatinga, por exemplo, será interditado.

A Secretaria de Mobilidade (Semob), o Departamento de Trânsito (Detran) e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) estudam novas alternativas. Entre elas está o desvio do fluxo de veículos de quem viaja em direção ao Plano Piloto para a Avenida das Palmeiras (foto em destaque), paralela à Avenida Central.

A via alternativa passará pelo Pistão Sul até a alça de acesso à EPTG no viaduto na entrada de Taguatinga. Desta forma, seriam construídos acessos da Elmo Serejo para Avenida das Palmeiras, e desta para a via EPCT, no Pistão Sul.

Com isso, para os motoristas que fazem o sentido Ceilândia/Plano Piloto, a Avenida das Palmeiras teria sentido único. Seriam quatro faixas de rolamento destinadas ao fluxo de veículos. Já no sentido Plano Piloto/Ceilândia, a ideia é manter três das quatro faixas de rolamento do centro de Taguatinga em funcionamento.

A definição dessas mudanças, no entanto, ainda não foi tomada.

Últimas notícias