Agência de intercâmbio suspende atividades e deixa estudantes na mão

Jovens afirmam que não receberam qualquer retorno da empresa e não sabem se poderão viajar, apesar dos contratos e pagamentos

Facebook/ReproduçãoFacebook/Reprodução

atualizado 25/06/2019 18:47

Estudantes do Distrito Federal que fecharam pacotes de intercâmbio com a agência Time 2 Travel tiveram uma surpresa: a empresa anunciou, sem aviso prévio, que suspenderia as atividades devido a dificuldades financeiras. No entanto, após o comunicado, quem chegou a fechar contratos teme não poder realizar o programa de estudos.

É o caso de Nelson Pereira, 24 anos, morador do Riacho Fundo II. Formado em sistema de informação, ele marcou o início do curso de inglês para 20 de julho, em Limerick, na Irlanda, onde deveria passar 6 meses. Os R$ 12.173,58 já haviam sido pagos pelo estudante, que soube do encerramento da agência por meio das redes sociais.

O jovem disse que tentou contato diversas vezes com os consultores sem sucesso. Agora, não sabe como ficará sua situação, mas diz que recorrerá à Justiça. “Era um sonho pessoal e profissional e batalhei bastante por ele. Todo o meu dinheiro, que juntei durante 4 anos fazendo estágio, foi investido ali”, lamentou Nelson.

 

Os gastos de Luana Dias, 28, e Geovane Jean de Oliveira, 25, totalizaram R$ 30 mil. O pacote com a Time 2 Travel foi acertado em junho de 2018, incluindo curso de inglês e seguro de viagem. “Já não tenho esperança do ressarcimento, mas não vamos desistir do intercâmbio”, garantiu Luana.

“Vamos tentar começar do zero e reconstruir tudo. Foi muito impactante. Até semana passada, estávamos em choque, sem dormir direito. Trabalhamos muito para conseguir isso”, afirmou a jovem. O casal registrou boletim de ocorrência na 8ª Delegacia de Polícia (Setor de Indústria e Abastecimento).

A empresa fez o anúncio nas redes em 17 de junho. “Hoje, é com grande tristeza que anunciamos a suspensão das atividades por conta de dificuldades financeiras. Nenhum produto ou pacote estará sendo oferecido pela T2T a partir de hoje”, frisou a postagem. Apenas cinco dias antes, porém, a agência havia divulgado uma promoções de pacotes.

“Da noite pro dia isso aconteceu. É frustrante. Tentamos investir em algo que não pode ser roubado, mas nem a educação está livre disso. Agora, estou atrás de uma bolsa de estudos”

Nelson Pereira, 24 anos

Outros estudantes relataram ao Metrópoles terem procurado a Time 2 Travel depois de muita pesquisa. “Optei por ela pela segurança que passava”, contou uma moradora de Brazlândia, que preferiu não se identificar. “Todo mundo indicava essa agência: influencers, alunos, pessoas que foram morar lá”, disse.

A jovem fechou um pacote de R$ 14 mil para passar oito meses na Irlanda, a partir de maio de 2020; e chegou a pagar R$ 3.500. De acordo com ela, depois do anúncio de suspensão, seus consultores passaram a lhe responder apenas com respostas vagas.

Rumores

“Não era uma agência de esquina qualquer, muito pelo contrário. Existem outras mais baratas, mas preferi essa pelas recomendações”, revelou uma aluna de Taguatinga, que também pediu para ter o nome preservado. Ela afirmou ter requisitado o cancelamento do contrato pouco antes da nota oficial ser divulgada.

“Comecei a ouvir rumores de gente que já estava no intercâmbio e foi despejado porque a empresa estava com problemas. Como era muito incerto, preferi cancelar, mas no mesmo dia soltaram a nota. Não sei de ninguém que tenha recebido retorno até hoje.”

Bruno Augusto, 26 anos, estudante de publicidade do DF, também faz parte do grupo de pessoas que se sentiram prejudicadas. “Estou tentando fazer intercâmbio há 10 anos, mas só consegui uma forma de pagar recentemente. Tinha fechado um curso de 25 semanas, com R$ 8.500 pagos desde fevereiro”, ponderou.

Comunicado

Um comunicado oficial no site da T2 garantiu que estudantes com embarques pendentes serão contatados por equipes de mediação. Ainda segundo a nota, 150 contratos já foram solucionados;  enquanto outras negociações estariam em andamento para garantir a continuidade dos programas. “Apenas pedimos a todos um pouco de paciência e enfatizamos que a solução deste impasse é hoje a nossa prioridade absoluta e não mediremos esforços para tanto”, destacou.

A reportagem tentou entrar em contato com a Time 2 Travel, mas não obteve retorno até a última atualização deste post.

A empresa, com sede em São Paulo, negociava contratos em diversas localidades do país. Como o número de prejudicados foi grande, os estudantes criaram uma página no Instagram, pedindo as quantias pagas de volta.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por LESADOS T2T ⚠️ (@t2t.lesados) em

A Time 2 Travel se manifestou novamente no Facebook em 19 de junho, pedindo desculpas pela demora em atender aos clientes.

“Inicialmente, gostaria de pedir desculpas pela demora em retornar. Os inúmeros e-mails, telefonemas e tentativas de ajudar não vem sendo suportado pela equipe de apoio. Por isso, de forma a transparecer a verdade, informamos que a T2T encontra-se com dificuldades econômicas e financeiras, o que impede a operacionalização e cumprimento das obrigações assumidas com nossos clientes”, afirmou no post.

Últimas notícias