*
 

Fundado em 2005, o abrigo Flora e Fauna acolhe há 13 anos cães e gatos do Distrito Federal encontrados em situação de risco, abandono ou vítimas de maus-tratos. Hoje, a Organização Não Governamental ajuda a cuidar de cerca de 700 animais, mas vive um drama. O estoque de ração é escasso, o número de doações e de adoções caiu, porém, o de resgatados triplicou.

Para alimentar os mais de 500 cães e 200 gatos, a idealizadora do projeto, Orcileni Arruda, 53 anos, conta que são gastos mensalmente pelo menos 8 toneladas de ração – um consumo diário de cerca de 275 kg. Segundo ela, a quantidade de comida atual deve durar apenas para mais um mês.

Amor de longa data
A organizadora diz que sua relação de cuidado e carinho com os bichos não é de hoje. “Desde criança eu faço o que faço. Quando era pequena, amparava animais mesmo contrariada por meus pais, que não gostavam da ideia. Sempre fui envolvida na causa”, conta.

Orcileni promete que mesmo com as dificuldades enfrentadas, a ONG fará o possível para manter o funcionamento. “É meu amor por eles que me faz continuar, mais nada”, conclui.

Tratamento especial
Assim que chegam ao abrigo, os resgatados recebem todo o carinho e atenção de Orcileni e sua equipe, que atualmente reúne pouco mais de 15 voluntários. No local, os bichinhos são vacinados, castrados e ficam prontos para a adoção.

A manutenção da ONG depende exclusivamente de doações e do trabalho voluntário. As ofertas podem ser feitas no próprio abrigo, localizado na chácara 20 do Núcleo Rural da Ponte Alta de Baixo, no Gama, ou nas feiras de adoção espalhadas pelo DF. Uma delas acontece aos sábados, das 11h às 16h, na quadra 108 da Asa Sul.

 

 

COMENTE

adoçãocachorroGatoabrigoabandono de cachorro
comunicar erro à redação

Leia mais: Distrito