*

“Adotar é tudo de bom”, já dizia a propaganda – e o projeto – de uma marca de comida canina. Abrir o coração e incluir na família um amigo canino ou felino sem pedigree só traz benefícios. Muita gente não sabe, mas a aquisição de um animalzinho pode estar financiando um comércio perverso: o das fábricas de filhotes de raça, que costumam maltratar os bichos e criar um verdadeiro ambiente de crueldade. Pense bem, amor não se compra.

Segundo dados da ONG Nacional Ampara Animal, o Brasil tem cerca de 30 milhões de animais abandonados – 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.

Diante da falta de políticas públicas para cuidar dos animais abandonados e em situação de rua, a sociedade civil organizada se solidariza com a causa e garante o bem-estar dos bichinhos até encontrarem um lar. São esses lugares – e as pessoas atuantes nesses projetos – que oferecem a adoção responsável.

Cães e gatos abraçados por essas instituições estavam em situação de risco e, em sua maioria, foram vítimas de abandono e maus-tratos. Mas, pode ficar tranquilo, todos os projetos cuidam desses bichos, vacinam, vermifugam, castram e, só quando estão saudáveis, os disponibilizam para adoção.

Não pode adotar? Não se preocupe, existem outras formas de ajudar. Doar ração, itens para os bazares (feitos constantemente com objetivo de cobrir as despesas), apadrinhar uma castração ou os gastos mensais de um animal e até ofertar uma quantia em dinheiro. Lembrando: nenhum valor é pequeno demais.

Outra boa opção é oferecer lar temporário. Você se dispõe a cuidar de algum bichinho em sua casa até ele ser adotado. Dessa forma, se alguém estiver disposto a dar amor e atenção, mas não puder ficar com o animal, estará contribuindo.

Separamos oito instituições da cidade que fazem um trabalho sério, assim como fotos de alguns bichinhos disponíveis para adoção responsável. Mas, já vamos avisando, as imagens contêm cenas fortes de fofura!


Um grupo de pessoas com um sonho em comum: ajudar animais abandonados, que precisam de um lar e de amor. Atualmente, o projeto abriga 40 cães em um hotel no Guará – criado especialmente para mantê-los. Promovem feira de adoção uma vez por mês no Cruzeiro, bazares, mutirão de banho e limpeza do local.

Para saber as datas dos eventos e conhecer um pouquinho de cada animal, siga o Toca Segura nas redes sociais.

Contato
Facebook: Toca Segura
Instagram: @tocasegura


O núcleo do Clube do Gato é composto por cinco voluntárias. Desde 2012, a instituição promoveu 562 adoções responsáveis: todos os animais foram doados saudáveis, castrados, vermifugados e vacinados, levados ao novo lar e acompanhados na pós-adoção.

São tutelados poucos animais por vez (apenas resgatam novos quando os anteriores já foram doados), porque entregam o bichinho vacinado (1ª dose), vermifugado e com a castração paga – caso o tenha mais de quatro meses, o animal é doado castrado. O projeto atende entre 10 e 15 bichos por mês.

Contato
E-mail: clubedogatodebrasilia@gmail.com
Facebook: Clube do Gato BSB
Instagram: @clubedogatobrasil


Fundado em 2005 por Orcileni Arruda de Carvalho, o local sobrevive 100% de doações. O abrigo acolhe cães e gatos em situação de risco. Além da opção de visitar o local para trabalho voluntário, eles também aceitam candidatos para lar temporário.

Os interessados em adotar devem procurar o abrigo, sabendo que eles só têm animais adultos e as visitas ocorrem somente no último domingo de cada mês — salvas exceções, divulgadas no site oficial ou nas redes sociais. Caso alguém queira conhecer o local em outra data, é necessário agendamento prévio. Para a adoção de filhotes, são realizadas pequenas feiras todos os sábados na 108 sul (Rua da Igrejinha, ao lado do Di Petti), das 11h às 16h.

Contato
E-mail: abrigofloraefauna@gmail.com
Facebook: Abrigo Flora e Fauna
Instagram: @abrigofloraefauna


O projeto nasceu com a desocupação da mata do Noroeste. Ao todo, foram resgatados 52 cães. Hoje, são aproximadamente 15 sob proteção do grupo. No entanto, outros animais ainda precisam ser retirados do local. Os bichinhos são tratados, castrados, socializados e disponibilizados para adoção.

Você pode conhecer os animais no segundo sábado de cada mês, no Armazém do Gato, 205 Norte. Um bazar para angariar peças para venda também é organizado mensalmente.

Contato
Facebook: Cães e gatos abandonados no Noroeste
Instagram: @resgatenoroestedf

O nome do projeto é uma homenagem à primeira gata resgatada, em 2010. Linda foi tratada, mas estava muito doente e não resistiu. Seu irmão, Tapioca, conseguiu se curar e hoje tem uma família para chamar de sua. A intenção é ajudar no controle populacional dos felinos de rua, resgatar, tratar e disponibilizar para a adoção.

São três voluntárias tocando o projeto e abrigando em lares temporários os gatinhos resgatados. O projeto não conta com nenhum colaborador fixo, recebe doações esporadicamente e, por isso, promove rifas, bazares, participa de eventos com canecas e camisetas para levantar fundos. Quem quiser ajudar pode doar qualquer objeto que não esteja usando em casa para ser vendido no bazar, ou apadrinhar a castração de um gatinho.

Contato
Telefone: WhatsApp (61) 99694-8268
E-mail: projetolinda1@gmail.com
Facebook: Projeto Linda


Desde 2013, seis amigas se juntaram pela causa animal. O projeto cresceu e já são 120 bichos (80 cães e 40 gatos) precisando de um lar. Para adotar um dos peludinhos, o candidato precisa provar ser digno de levá-lo para casa. A triagem é rigorosa. Não existe pressa na adoção e o instituto faz de tudo para garantir que a afinidade seja tamanha, e o risco de devolução, zero ou quase isso.

Apesar de ter 10 mil seguidores no Instagram, as doações quase não chegam. Se cada um doasse R$ 5, por exemplo, já ajudaria muito nos cuidados dos pets. Quer conhecer pessoalmente? Todo primeiro sábado de cada mês, os animaizinhos estão na loja Petz, no SIA, das 10h30 às 15h.

Contato
E-mail: adocaosaofrancisco@gmail.com
Facebook: Projeto Adoção São Francisco
Instagram: @adocaosaofrancisco


Ao contrário do que muitos pensam, o Centro de Controle de Zoonoses do Distrito Federal não recolhe cães e gatos das ruas para serem sacrificados. O espaço só abriga animais em situação de risco de doenças. Após os testes necessários, aqueles comprovadamente saudáveis são vacinados e colocados para adoção.

Caso chegue um bicho sem sintomas de doenças virais, os funcionários orientam o dono ou a pessoa que o encontrou a procurar abrigos e organizações não governamentais (ONGs) responsáveis por esse trabalho de proteção.

Centro de Controle de Zoonoses do DF
De segunda a sexta-feira, das 8 às 15 horas
Estrada do Contorno do Bosque, Setor de Áreas Isoladas Norte, Área Especial, Lote 4 (entre o Setor Militar Urbano e o Hospital de Apoio de Brasília)

Além de cães e gatos, o abrigo Pet Hostel resgata animais que iriam para o abate. A chácara, próximo ao Jardim Botânico, acolhe também cavalos, galinhas e porcos, entre outros bichos. No caso dos cães e gatos, eles são tratados e, posteriormente, disponibilizados para adoção. Os outros animais permanecem no local, sob o cuidado dos tratadores. O projeto busca proporcionar liberdade, segurança e qualidade de vida aos bichos.

A chácara é aberta para visitação do público e sobrevive com a ajuda de colaboradores e voluntários. As maiores carências são ração, medicamentos, materiais de construção e utensílios para os animais.

Contato
Instagram: Pet.hosteldf

PROCURA-SE UM DONO! O Barney foi resgatado das ruas da Ceilândia em 2015 e está no Pet Hostel até hoje esperando um adotante. Atualmente ele está com cerca de três anos e já está vacinado, castrado e vermifugado. O Barney é um cachorro extremamente dócil, tranquilo, carinhoso e muito companheiro. Por ser de porte pequeno e muito tranquilo, o Barney é uma ótima opção para quem mora em apartamento. Além disso, ele se da muito bem com crianças e sabe conviver bem com outros cães. Quem tiver interesse em adota-lo conhecê-lo ou receber mais fotos e informações dele, entre em contato conosco pelo número (61) 99648-2825. 🔴 COMPARTILHEM! #amigonaosecompra #adote #adotei #adocao #protecaoanimal #cachorros #pethosteldf

Uma publicação compartilhada por Pet Hostel (@pet.hosteldf) em


O projeto existe há 12 anos e nasceu da união de três amigas – uma faleceu no ano passado. Os animais resgatados, gatos em sua maioria, ficam em lares temporários e hotéis até a adoção. Além disso, a instituição faz castração de felinos de rua e, após a recuperação, os devolvem ao local.

A divulgação é feita por meio das redes sociais e, por lá, os interessados podem conhecer um pouquinho mais do trabalho e a carinha dos bichinhos disponíveis. A SVPI está com poucos parceiros e organiza eventos (como bazares) para arrecadar verba.

Contato
E-mail: svpibsb@gmail.com
Facebook: SVPI – Salvando Vidas Protetores Independentes



COMENTE

 
adoçãoanimaiscachorroGato