Conteúdo especial

Novo Ensino Médio: Colégio Católica oferecerá vivência universitária

Instituição tem uma das únicas propostas de formação inovadora aprovadas pelo Conselho de Educação do DF

atualizado 26/11/2021 11:21

A partir de 2022, o Novo Ensino Médio será uma realidade para os estudantes que ingressarem nessa etapa da formação. Com a carga horária ampliada, a nova organização curricular, mais flexível, unirá a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a oferta de itinerários formativos, que colocam o jovem como protagonista da própria vida escolar e dos rumos que pretende dar à vida profissional.

Apesar de ser uma evolução na formação dos estudantes, é preciso ir além na preparação desses jovens para um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Essa é a motivação do Colégio Católica de Brasília ao entregar um processo de aprendizagem mais aprofundado. Inclusive, a proposta inovadora é uma das únicas já aprovadas pelo Conselho de Educação do Distrito Federal.

O atual modelo tem 2.400 horas. A nova proposta amplia para 3 mil horas, sendo que mais da metade (1.800) deverão ser destinadas para aprendizagem comuns previstas pela BNCC e, as demais, aos itinerários formativos ofertados pelo colégio.

“Eles ganharão autonomia, maturidade para tomada de decisões. Saberão traçar seus projetos de vida, vão melhorar as habilidades de escuta para o mundo contemporâneo. Lidarão com as frustrações, organização de tempo e resiliência. Saberão se adaptar às mudanças e superar os obstáculos, desenvolvendo suas habilidades e competências.”

Maria Ireneuda Nogueira, diretora do Colégio Católica de Brasília

Um dos diferenciais apresentados pelo colégio é que os estudantes terão vivência integrada e contato inicial com os docentes da Universidade Católica de Brasília. Dentro dessa experiência, eles participarão de metodologias ativas com professores orientadores e farão uma pesquisa científica que será publicada no fim do 3º ano.

Ir além da proposta do Ministério da Educação era quase uma necessidade, explica a diretora, pois só atender as especificidades da legislação não mudaria o ensino médio. “Apresentar uma proposta mais atrativa para os pais e estudantes do 9º ano requer muito estudo e preparação do professor para que ele consiga colocar o estudante como protagonista. E nós conseguimos.”

Na avaliação do professor Renato Carvalho, Coordenador Pedagógico do Ensino Médio do Colégio Católica de Brasília, o excesso de aula expositiva que o atual modelo traz faz com que muitos estudantes passem por um processo de sofrimento e não alcancem os objetivos.  “Por isso, um dos caminhos que tomamos é o de incentivar a participação deles, diversificando a metodologia e colocando o docente como parceiro do estudante com mais tempo para diversificar as estratégias e metodologias. A nossa proposta inova ao fazer com que ele saia da plateia de uma aprendizagem passiva e passe para uma aprendizagem ativa”, afirma.

As mudanças estruturais foram traçadas para alcançar uma educação humana, cidadã, sólida e inovadora. O modelo organiza o currículo, amplia a carga horária anual e é composto por dois blocos.

Saiba mais sobre os blocos de formação do Novo Ensino Médio

Formação Geral Básica
Com 1.800 horas, os estudantes cursarão disciplinas comuns em todas as três séries, agrupadas nas seguintes áreas de conhecimento:


Itinerário Formativo

Esse bloco é flexível. O estudante terá 1.350 horas, divididas ao longo dos três anos do ensino médio, para se dedicar em Ciências Humanas e Sociais Aplicadas ou Ciências da Natureza e suas Tecnologias. É ele quem escolhe.

Cada conjunto de unidades curriculares (disciplinas, projetos, oficinas e núcleos de estudo) possibilita ao estudante aprofundar os conhecimentos e se preparar para a continuidade dos estudos ou para o mercado de trabalho de forma a contribuir para a construção de soluções de problemas específicos da sociedade.

O planejamento e a operacionalização serão norteados pelos seguintes eixos:



• Investigação Científica: O eixo permeará todas as séries. Com o apoio de um orientador, os estudantes terão contato com problemas e as respectivas abordagens para aprender a investigar e elaborar uma pesquisa científica, seja na área de humanas ou em natureza.

• Processo criativo (1º ano): O orientador motivará os estudantes para que criem soluções em cima das necessidades da sociedade.

• Mediação e Intervenção Sociocultural (2º ano): Dando continuidade ao processo criativo, os estudantes colherão dados da aplicação e farão ajustes à pesquisa.

• Empreendedorismo (3º ano): É hora de finalizar a pesquisa e torná-la pública.

Além desses blocos, no âmbito do Programa Propósito de Vida, o estudante poderá optar por cursos eletivos para promover a vivência universitária, entre eles: Engenharia na Prática, Direito Cidadania e Constituição, Laboratório de Biotecnologia, Produção Audiovisual para Mídias Digitais, Maquete e Designer de Objetos, e Bem-vindo à Bolsa de Valores. Essas disciplinas serão ofertadas em parceria com a Universidade Católica de Brasília (UCB). Já na escola, eles poderão escolher por matérias como Biologia Forense, Além das lentes do microscópio, Educação Financeira e Escrita Criativa.



O Programa Saúde Física também permeará entre as disciplinas do itinerário comum. Um professor de Educação Física trabalhará temas das diretrizes nacionais da saúde de adolescentes como drogas, obesidade, bullying, gravidez na adolescência e educação sexual. Todas as ações em parceria com profissionais de saúde da UCB.

Estudantes terão ensino vivencial integrado com a Universidade Católica de Brasília

Expectativa

Aluna há nove anos do Colégio Católica de Brasília, Emanuelle Moura será uma das pioneiras no 1º ano do Novo Ensino Médio. Com afinidade em Exatas e almejando os cursos de Engenharia ou Arquitetura, ela admite a ansiedade para poder ter contato direto com os professores e frequentar a estrutura da UCB. “Todas as palestras que assisti em que nos apresentaram essa nova proposta me deixaram ansiosa. Foi uma ideia muito boa porque a gente vai se preparar melhor antes de ingressar na faculdade e, se eu não gostar do curso, posso ver o que combina comigo e terei outra chance de mudança de escolha do itinerário”, ressalta.

Estudantes passarão mais tempo com professores

Outro ponto destacado pela estudante é a oportunidade de passar mais tempo com o docente. “Será importante para vê-lo como colega e parceiro e não só como aquela figura que só passa o conteúdo. Será uma troca humanizada e tenho certeza que o professor também vai aprender com o estudante. Às vezes não temos vontade de aprender, mas essa interação nos dará mais vontade de participar”, completa.

Já Alexandra Braga, mãe do Samuel, que também cursa o 9º ano no colégio, conta que o filho ainda está muito inseguro e indeciso. “Esse momento requer o auxílio dos pais e da escola. Acredito que a proximidade com a universidade vai trazer motivação para que eles visualizem, de perto, o que querem ser para protagonizar suas decisões”, afirma. 

 

 

 


Enem

Mediante as mudanças, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também passará por adequações. Paralelamente, os estudantes do Colégio Católica de Brasília estarão preparados para essas mudanças, pois a instituição continuará ofertando disciplinas tradicionais e aprofundando os conteúdos referentes à prova.

Colégio Católica de Brasília

QS 07 EPTC, Lote 01 – Águas Claras
Telefone: (61) 34515-020
Site: colegio.catolica.edu.br
Redes sociais: Instagram / Facebook