As provas aplicadas no período matutino nesse domingo (9/12), do concurso público para preencher vagas de quatro cargos na Advocacia-Geral da União (AGU), foram canceladas pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan). Em algumas cidades do país, os cadernos dos exames não chegaram a tempo e os candidatos não conseguiram fazer os testes.

As provas objetiva e discursiva para os cargos de administrador, arquivista, contador e técnico em assuntos educacionais ainda não têm nova data definida. O concurso recebeu 50.482 inscritos. O cargo mais disputado é o de analista técnico administrativo, com 26.472 candidatos disputando 10 postos.

De acordo com o Idecan, ocorreram problemas na logística da distribuição dos malotes de provas e, por isso, os candidatos nas cidades de Cuiabá (MT), Florianópolis (SC) e São Luís (MA) não tiveram acesso ao exame. O instituto afirmou que no restante do país as provas ocorreram normalmente, mas para manter a lisura na realização do concurso optou pelo cancelamento das provas do turno matutino.

“O planejamento logístico, assim como todas as etapas do certame, foi realizado minuciosamente por uma equipe altamente qualificada. Entretanto, os malotes de provas foram entregues com atraso pelo operador logístico responsável pelo transporte aéreo”, afirmou a banca organizadora.

As demais provas do certame serão mantidas.

Reprodução/Idecan

 

Para assegurar a transparência na realização do certame, e para que nenhum candidato seja prejudicado e as condições de igualdade sejam mantidas, a banca irá se reunir com a comissão organizadora do concurso durante esta semana para definir a data de aplicação das provas dos cargos do turno da manhã.

100 vagas
concurso oferece 100 vagas com remuneração inicial de R$ 6.203,34. As oportunidades são para administrador, analista técnico administrativo, arquivista, bibliotecário, contador, técnico em assuntos educacionais e técnico em comunicação social.

A Associação dos Servidores da AGU (Asagu) afirma que, no momento, faltam 2,5 mil profissionais na área de apoio do órgão em âmbito nacional. O quadro de funcionários atual é de quatro mil servidores. Desse total, somente 1,5 mil são da própria AGU. Os demais são cedidos de outros órgãos.