Veja concursos que não dependem do Ministério da Economia

Confira órgãos e autarquias que não precisam de autorização do governo federal para lançar editais e nomear servidores

Andre Borges/Esp. para o Metrópoles

atualizado 11/02/2020 17:32

A recente declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, comparando servidores públicos a parasitas, chegou como mais um balde de água fria a todos aqueles que vinham se preparando para concursos com o único propósito de se tornarem servidores. Isso porque, mesmo Guedes tendo pedidos desculpas e afirmado que não se expressou muito bem, sua fala é mais uma sinalização de que o governo não pretende autorizar a realização de novas seleções tão cedo.

O que algumas pessoas não sabem é que nem todos os concursos públicos dependem de aval do Ministério da Economia, ficando vinculado à pasta apenas as liberações para seleções federais e que sejam para preenchimento de vagas no Poder Executivo.

Dessa forma, independentemente do freio imposto pelo ministro, poderão continuar saindo editais para concursos de tribunais, órgãos policiais, Forças Armadas, empresas públicas, conselhos regionais, além dos diversos órgãos estaduais e municipais que dependem, respectivamente, de aprovação dos governadores e prefeitos.

Tribunais

Os concursos para tribunais estão entre os mais buscados por quem sonha em ingressar na carreira pública, devido principalmente às altas remunerações que esses órgãos costumam proporcionar.

Os tribunais mais visados pelos concurseiros são os de Justiça estaduais, Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Tribunal Regional Federal (TRF), Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e tribunais de Contas estaduais (TCEs).

Órgãos policiais

Como o tema de segurança pública está em alta, um dos segmentos de concursos públicos que mais tem contado com autorizações nos últimos meses é o de carreiras policiais.

O próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou a declarar, no ano passado, que a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal ficarão de fora do regime de contenção na autorização de novos concursos.

Além disso, sobram as seleções para cargos na Polícia Militar (PM) e na Polícia Civil (PC) de diversos estados. Muitas já estão autorizadas e algumas já se encontram, inclusive, abertas.

Forças Armadas

Outra área que vem conquistando cada vez mais concurseiros é a das Forças Armadas – englobando as seleções do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Nesses casos, os editais costumam ser publicados anualmente, sem depender de autorização prévia por parte do governo federal. As oportunidades podem ser destinadas a candidatos de níveis fundamental, médio e superior e os salários iniciais podem ultrapassar os R$ 8 mil, dependendo do cargo.

Banco do Brasil

Por ser uma empresa pública, o Banco do Brasil, assim como os Correios e a Petrobras, também não precisam receber aval do Ministério da Economia para realizar novos concursos.

Não é à toa que um concurso para escriturário do Banco do Brasil está previsto para ser publicado em março de 2020. Segundo fonte extraoficial ligada ao banco, o edital já está em fase adiantada de elaboração.

Ainda de acordo com as informações preliminares, o órgão já conta, inclusive, com banca organizadora escolhida, porém, o nome da instituição ainda deverá ser anunciado. Novos detalhes devem ser confirmados em breve.

Conselhos regionais

O conselho de classe profissional são conselhos formados por profissionais de cada profissão, com diretorias democraticamente eleitas pelos seus associados que representam os interesses de sua profissão. Sua principal atribuição é a de registrar, fiscalizar e disciplinar as profissões regulamentadas. Elas são considerados “autarquia especial ou corporativa”.

Com representatividade estadual e, em alguns casos, federal, os conselhos regionais também não dependem do ministro Paulo Guedes para terem novos concursos realizados.

Órgãos estaduais

Os grandes “salvadores” dos concurseiros em épocas de escassez de seleções federais são os concursos estaduais, que, além de garantir a tão sonhada estabilidade, ainda oferecem remunerações tão altas quanto as obtidas em carreiras do Executivo nacional.

Órgãos municipais

O maior volume de editais é, sem dúvida, de concursos municipais, que dependem apenas de autorização dos respetivos prefeitos para serem publicados, ficando salvos de qualquer tipo de contenção realizada pelos governos federal e estaduais.

O que muita gente não sabe, também, é que em ano eleitoral os concursos podem, sim, ser abertos. O que fica proibida em época de eleições é a nomeação dos aprovados, que acaba sendo adiada para o ano seguinte.

Últimas notícias