Exército inscreve até agosto para concurso de oficiais e capelães

O prazo para se inscrever vai até 2 de agosto. São 23 vagas para quem tem ensino superior

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 30/06/2019 6:46

Estão abertas as inscrições para o concurso para oficiais do quadro complementar e de capelães do Exército do Brasil. Os aprovados participarão de curso de formação e devem ser nomeados em 2020. Interessados podem fazer o registro até 02/08/2019, via internet. A taxa é de R$ 120.

São 23 oportunidades disponíveis na Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx), em Salvador (BA), e na Escola de Saúde do Exército (EsSEx), no Rio de Janeiro (RJ).

Dessas vagas, 20 são nas carreiras de oficiais do quadro complementar, para quem tem graduação em administração, ciências contábeis, comunicação social, direito, enfermagem, informática, matemática (magistério), medicina veterinária e português (magistério).

As outras três oportunidades estão disponíveis na EsFCEx para capelães do Exército, nas carreiras de padre católico ou pastor evangélico. É preciso ter formação em teologia para participar da seleção.

Requisitos

Um dos requisitos para candidatos às vagas de oficiais do quadro complementar é ter até 36 anos. Enquanto isso, as oportunidades para capelães exigem idade entre 30 e 40 anos.

Para concorrer a qualquer uma das categorias, é requisito ter ao menos 1,60 metro de altura, no caso dos homens, e 1,55 metro, mulheres.

Todos os participantes farão prova de conhecimentos. A previsão é que o certame ocorra em 15 de setembro. Se aprovados, os candidatos passarão por avaliação de documentos e de títulos, além de inspeção de saúde, teste de aptidão física e avaliação psicológica.

Curso de formação

O período de formação terá duração de 37 semanas para as duas carreiras. Quem participar do curso para oficial do quadro complementar passará a ser primeiro-tenente após a conclusão. O salário para esse cargo é de R$ 8,2 mil.  No caso dos capelães graduados, a nomeação é para o posto de segundo-tenente, com remuneração de R$ 7,4 mil.

Últimas notícias